O Tesouro da Encantadora

Edição: 1
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765312
Ano: 2014
Páginas: 400
Tradutor: Ricardo Gouveia

Há muitos anos, quando objetos mágicos eram tão comuns quanto panelas nos lares de Augusta, a magia era controlada por uma feiticeira muito poderosa: a Encantadora das Terras do Norte. Certo dia, cansada de sofrer ataques de cidadãos que queriam usar os poderes de maneira ilícita, ela resolveu se vingar: recolheu a maioria dos itens mágicos do reino e desapareceu, deixando os cidadãos sem notícias de seu paradeiro nem desse magnífico tesouro. Anos depois, quando Hilary Westfield decidiu que queria ser pirata, nem imaginava que estava prestes a participar da caça ao maior tesouro de todos os tempos. Afinal, tudo o que a preocupava era fugir da Escola da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, onde as jovens da alta sociedade aprendiam a valsar, desmaiar e se comportar à mesa. Hilary não via utilidade nenhuma naquelas lições e queria se juntar à Quase Honrosa Liga de Piratas. Qualificações não lhe faltavam, mas a Liga não admitia garotas em sua equipe de algozes e pilantras. Decidida a partir para alto-mar a qualquer custo, Hilary responde ao anúncio de um pirata autônomo em busca e membros para sua tripulação. De repente, ela se vê no meio de uma aventura marítima em busca do tesouro mais valioso do reino: o tesouro da Encantadora. Para encontrá-lo, ela contará com um mapa sem X e precisará enfrentar o vilão mais traiçoeiro — e surpreendente — de todos os mares. 

proibido

Introdução

Em A Quase Honrosa Liga de Piratas – O Tesouro da Encantadora, temos Hilary como protagonista, a filha de única de um comandante da marinha real que tem um sonho: ser uma pirata. Embora isso seja impossível (tripulações não levam mulheres à bordo, ou seja, não exitem piratas mulheres). Disposta a virar o jogo ela embarca em uma das missões mais impossíveis: encontrar o tesouro de Encantadora. Sendo assim, podendo provar que está apta a ser uma grande pirata.

Narrativa

Quando Hilary responde a cartas do pirata da Quase Honrosa Liga de Piratas dizendo que ela é uma garota, ele envia sua inscrição a Escola de Aprimoramento da Senhorita Primm para Damas Delicadas, o que ela repudia de montão. O livro com termos e títulos enormes é bem divertida e encantadora, o livro tem um ritmo bastante ágil e se deve ao fato de Hilary ser uma menina de 13 anos bem peculiar. Com a ajuda de sua gárgula (pelo qual a história ao meu ver ganha um plus muito divertido) e de Claire (uma garota que Hilary conhece na escola da Senhorita Primm). Hilary luta bravamente pelo seu sonho e isso ganha muitos pontos com o leitor, mesmo sendo impedida previamente,  ela vai de encontro ao que sonha, ao que deseja e isso com certeza ganha o carinho e atenção com facilidade.  Embora não tenha sido aceita na Liga, ela conhece, Jasper, um pirata autônomo que está em busca de uma tripulação e ela quer a oportunidade de tentar. Se ela consegue ou não, só saberão se forem ler o livro. As aulas da Senhorita Primm são divertidíssimas, confesso que as aulas de desmaio me fizeram rir bastante. O tom divertido da trama é na dose certa. Quando a aventura ganha corpo, o livro ganha muito em si.

Diagramação

É um capricho a parte da editora, o livro está cheio de bilhetes, avisos, notícias de jornal e cartas. Sendo assim, temos um panorama maior e um jeito divertido adotado pela autora.

Considerações Finais

Minha paixão por livros juvenis não é novidade. Quem sabe e acompanha o Macchiato, vê o quanto rasgo elogios a Crescida Cowell. Senti a mesma sensação ao ler o livro, ambas a séries embora sejam personagens diferentes e situações totalmente diferentes, há algumas semelhanças nas características de alguns personagens. Adianto que a série tem tudo para dar certo e espero ver muito mais desses personagens que merecem o título de encantadores.