Passarinho

Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580575354
Ano: 2014
Páginas: 224
Tradutor: Thaís Paiva

O avô de Joia parou de falar no dia em que matou o irmão dela. O menino se chamava John, e achava que tinha asas. Subia e saltava do alto de qualquer coisa, até ganhar do avô o apelido de Passarinho. Joia não teve a chance de conhecê-lo, pois Passarinho se jogou do penhasco bem no dia em que ela nasceu. Ainda assim, por muito tempo ela viveu à sombra de suas asas. Agora, aos doze anos, Joia mora em uma casa tomada por silêncio e segredos. Os pais culpam o avô pela tragédia do passado, atribuem a ele a má sorte da família. Joia tem certeza de que nunca será tão amada quanto o irmão, até que ela conhece um garoto misterioso no alto de uma árvore. Um garoto que também se chama John. O avô está convencido de que esse novo amigo é um duppy — um espírito maldoso —, mas Joia sabe que isso não é verdade. E talvez em John esteja a chave para quebrar a maldição que recaiu sobre sua família desde que Passarinho morreu. 

proibido

Introdução

Em Passarinho, Joia, uma garota de 12 anos que nasceu no mesmo dia em que seu irmão John se jogou de um penhasco. Ganhou o apelido de Passarinho pelo avô antes da trágica morte do garoto, e alguns parantes o culpam por isso. Há 12 anos ela enfrenta essa sombra e se torna um misto de dor e recomeço constante. Joia conhece um garoto em cima de uma árvore, ele se chama John, mas o avô não aprova essa amizade. Mesmo assim, Joia tece uma linda amizade com o garoto.

Narrativa

Narrado em primeira pessoa pelos olhos de Joia. Joia compartilha seus pensamentos que até então são reprimidos. O leitor se torna confidente da garota. Ela é uma garota sonhadora, ela quer ser geóloga e é apaixonada pela natureza. O livro tem poucos personagens, mas se sustentam muito bem dessa forma. Todos são explorados num ritmo interessante e que para alguns pode soar lento e cansativo, para outros um ritmo interessante e convincente (meu caso).

Diagramação

É uma das capas mais simples, mas que me chamaram tanta atenção em tempos. A simplicidade da capa me atraiu ao livro. E definitivamente não me enganei. A diagramação é simples, porém, não encontrei nada que atrapalhe a leitura do mesmo. Só as lagrimas que vem como consequência de cenas bem escritas.

Considerações Finais

Passarinho é um livro sobre como essa família enfrenta a perda e se reconstrói aos poucos. Questionador, simples e carrega uma certa dose de inocência. Ele ganhou um cantinho especial ao lado de Extraordinário na estante e no meu coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*