Em Conquistas Perigosas, Charlie Contryman, tem um dom de ver e falar com pessoas que já morreram, sua mãe morre e ele tem uma última conversa com a mesma e ela sugere que ele vá a Bucareste. Por um acaso, ele conhece Gabi, e se apaixona à primeira vista. Porém, Gabi (Evan Rachel Wood) tem um ex marido perigoso chamado Nigel (Mads Mikkelsen) e sua vida fica por um fio ao nutrir esse sentimento pela jovem.

Direção

Fredrik Bond, é um novo diretor que promete muitos bons filmes. Anteriormente, trabalhou com um dvd do artista, Moby e havia feito um curta-metragem chamado The Mood. Na época, o filme foi nomeado ao Golden Bear pela direção do filme.

Elenco

De início Shia aceitou o projeto e quase desistiu, seria substituido por Zac Efron. Que acerto na carreira de Shia, pois o filme é praticamente todo composto por ele e seu amadurecimento como personagem. Os personagens secundários também são interessantes e bem desenvolvidos. É bem compreensível essa paixão que Charlie tem por Gabi, pois ela é fantástica, misteriosa e muito diferente. Nigel é um bom “vilão” na trama, sempre um passo à frente de Charlie. O tom de mistério, suspense, ação e romance é muito bem equilibrado durante o filme. O carisma e a química entre os personagens se fez presente na tela.

Fotografia

Um dos pontos mais altos desse filme, sem dúvida, é a fotografia. Sempre muito bem composta e cheia de efeitos interessantes. A trama se passa em maior parte em Bucareste, a escolha dos lugares a serem filmados, tornou tudo mais interessante. Sempre bem ambientados e brincando com a profundidade de campo combinada com lindos close ups. Roman Vasyanov já fez a direção de fotografia em mais de 300 comerciais e mais de 13 filmes, incluindo curta-metragens. Inclusive será o diretor de foto de um filme que quero muito assistir, chamado Esquadrão Suicida (2016), que no momento, se encontra em pré produção.

Trilha Sonora

Pela experiência do diretor com o Moby, ele se fez muito presente na trilha sonora do filme. Tendo até músicas que é de difícil acesso pela internet (o que é uma pena, ou seja, não está ai na playlist). Gostei muito da trilha, pois há uma harmonia muito bacana entre imagem e som. Não sei se faria diferente, ficou realmente agradável.

Considerações Finais

Fiquei extasiada com o filme. Talvez tenha sido um dos mais interessantes e bonitos que vi em muito tempo. Ritmo bom, fotografia incrível, elenco bem selecionado, trilha sonora competente, edição primosorosa. Sem dúvida, Fredrik tem do que se orgulhar em sua estreia.