Valiant

ISBN: 9788532521712
Ano: 2007 / Páginas: 206
Idioma: português
Editora: Rocco

Valiant – Fadas não existem, certo? Bem, pelo menos era isso que pensava Valerie Russel, uma garota de dezessete anos até então parecida com muitas outras que existem por aí. Isso até fugir de casa e ir morar com alguns jovens de rua nos túneis do metrô de Nova York. Logo, Val irá perceber que seus novos amigos são alguns dos poucos humanos que sabem da existência de um universo fantástico, repleto de seres encantados e magia, onde Val terá um papel muito importante a cumprir.

proibido

Introdução

Em Valiant, o foco da narrativa está em Valerie, uma garota que vive uma vida comum, tem o namorado que gosta tanto, uma mãe que quer ser adolescente e uma melhor amiga gótica. Até aí, tudo normal, certo? Porém, Valerie, está em conflito e decide ir morar na rua para não ter que enfrentar sua mãe. Ela se sente traída e ganha novos amigos com essa experiência.

Sobre Holly Black

Holly Black nasceu em 1971 numa mansão vitoriana decadente em Nova Jersey. Sua mãe era pintora, fazia bonecas e, nas horas livres, alimentava a filha com histórias de fantasmas e fadas que formaram muito daquilo que faria parte do mundo de Holly posteriormente. Ela teve uma infância feliz, onde passava horas preparando poções mágicas imaginárias e atendendo às necessidades de seus ratos de estimação.

Site oficialTwitterFacebook

Capas pelo mundo

6560309 6491734 13573763 16080791 6440837

Narrativa

Holly investe numa narrativa em primeira pessoa sob o ponto de vista de vários personagens, ou seja, todos eles tem sua voz. Sendo assim, os personagens secundários conseguem ter um espaço suficiente para conhecê-los de perto. Os seres fantásticos não ficam só no mundo das fadas, sim. Holly coloca um troll verde em um túnel no metrô de NY. Ah, o troll tem nome, Ravus. Diferente do livro anterior, Valerie é de longe, uma das personagens mais malucas que li recentemente, ela troca uma vida comum por uma totalmente fora dos eixos.

Diagramação

Sinceramente, não sei o que acontece com as capas dos livros dessa série, elas não se parecem em nada. A capa não é chamativa novamente e a tradução foi feita por outra tradutora o que diverge bastante e torna a leitura de um livro totalmente diferente do anterior.

Considerações Finais

O que posso dizer desse livro? Inusitado pra caramba. Quando você acha que ela não pode surpreender, poft: supreende de novo. Doses de romance, ação e suspense são um marco. Uma pequena que essa série não tenha feito tanto sucesso no Brasil, pois é altamente criativa e diferente dos livros que abordam o tema. Um aviso: personagens principalmente os mais explorados no primeiro livro, não aparecem nesse. O que é bem estranho por sinal. Ou seja, se espera respostas do livro anterior, pegue a senha.

comentários

  1. Ok, se pela outra resenha, essa série tinha me chamado a atenção, agora eu estou com muuuita vontade de ler. Parece ser muito boa ou então é a sua resenha que ajuda muito, né? kkk

  2. comprei o primeiro livro dessa serie! hehe vou começar a ler amanha espero gostar! é verdade que as capas nao tem nada a ver, nem parece um livro de fantasia/ficçao parece mais é de terror!

  3. Adoro livros surpreendentes. Não gostei tanto assim da capa, mas isso é o de menos. Adorei a resenha, fiquei empolgada só se ver a sua empolgação. Espero adorar.
    Beijos.

  4. Oi Amy,
    Para ser sincero, nem conhecia essa saga.
    Bom, vejo tanta gente elogiando a autora, que mais cedo ou mais tarde vou precisar ler algum livro dela. Mas vamos combinar que nao custava nada escrever alguns stand alone para os leitores que nao se atrevem a começar a ler novas séries rsrs
    Acho que o aspecto que mais me agrada da literatura fantástica é a possibilidade de surpreender o leitor a cada instante, afinal, qualquer coisa pode acontecer.
    Uma pena que a autora nao deu respostas sobre o livro anterior. Fico bastante frustrado quando isso acontece.
    Abraço,
    Alê
    http://www.alemdacontracapa.blogspot.com

  5. Oie,

    eu nunca tinha escutado falar dessa saga, mas…
    eu ainda tô tentando entender pq alguém larga tudo e vai viver nas ruas com um monte de gente de outro mundo, mas enfim acho que para isso teria que ler os livros.
    essa parte de tradução é mesmo muito complicado: acaba se perdendo um pouco da obra e já li textos traduzidos por duas pessoas diferentes tem horas que fica muito confuso.
    são quantos livros a série?

  6. Bem, pelo que vi, a questão “capa” nessa série é uma coisa pra ser esquecida. Arrisco a dizer que é um dos trabalhos mais porcos que já vi na Rocco. Mas enfim…
    Em relação a trama, gosto quando a narrativa é dividida por mais de uma personagem. Só fico com um pé atrás em relação a essa “falta de respostas” em relação ao volume anterior. O maior erro dos autores é encher os leitores de dúvidas, pra no último volume, começar a jogar as respostas sem pé nem cabeça e às pressas.

    @_Dom_Dom

  7. correção do meu comentário (eu acho que faço isso no próximo post, mas…)
    eu não tinha me tocado que era a mesma saga, as capas são muito diferentes e eu achei que era histórias independetes. já que eu sei que a balck adora escrever sobre fadas e coisas afins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*