Em Música, Amigos e Festa (We Are Your Friends), Cole (Zac Efron), é um jovem que busca se tornar um grande DJ. Ele e seus amigos, querem uma vida regada a curtição, festas e drogas. Mas tem que lidar com o fato de não terem dinheiro, algo que pra eles impendem de ter tudo o que querem.

Se fosse resumi-lo seria um filme sobre amizade, música e muitas festas! Com boas batidas e quando emplaca mostrando mais música do que os conflitos dos personagens, fica mais interessante.

Roteiro e direção

Ambos executados por Max Joseph. Ele é um dos apresentadores do reality, Catfish da MTV. E ficou um tempo fora do programa para gravar esse filme, desde então, queria muito assistí-lo. A oportunidade veio quando ele ficou disponível na Netflix. O trabalho de Max foi bem diferente do que estou acostumada. Mas ele conseguiu um feito interessante, conseguiu mostrar a quem estava assistindo, um pouco sobre música eletrônica em meio a uma trama que é bastante atual e representa o jovem atual. A intensidade de ser jovem em uma cidade cheia de oportunidades malucas. No final, ele fez um bom trabalho. Porém, fui com grandes expectativas e acabei me decepcionando um pouco com a trama central.

Elenco e Personagens

Uma boa seleção de personagens, alguns bem conhecidos com outros que nunca havia ouvido falar. Zac fez um bom trabalho e mostrou que pode ser muito mais do que um personagem de filme da Disney. Passou veracidade e comprei a história e a paixão que ele tem com a música.

O relacionamento de Cole com seus amigos é uma parte bem divertida da trama. Mason (burrinho, mas amigo para todas as horas) Ollie (aspirante a ator e um traficante) e Esquilo (tímido e até um pouco ingênuo) são bem diferentes entre si, mas são esteriótipos bem claros do jovem atual. Cole tem uma pontinha de sorte quando conhece o DJ James Reed (Wes Bentley) que depois de ouvir alguns pequenos trabalhos de Cole, começa a ensiná-lo mais sobre o gênero. O romance, acontece de forma gradual, mas de um jeito totalmente previsível. Sophie (Emily Ratajkowski) é assistente de James e tem um relacionamento maluco com ele… e claro, Cole irá se encantar pela moça.

Fotografia e trilha sonora

Geralmente separo essas duas categorias, mas elas funcionaram muito bem juntas no filme. Por isso, é difícil falar de uma sem mencionar a outra. A fotografia explora bastante a musicalidade do filme. E a música meio que guia a fotografia e o ritmo da montagem. Em alguns momentos sentia que o filme mais parecia um videoclipe, do que um filme com narrativa clássica. São alguns momentos bem importantes na trama, diga-se de passagem.

Considerações finais

O filme quebra o mito de que a música eletrônica só é feita eletronicamente. Cole aprende muito de música com James Reed e sua carreira começa a acontecer com as investidas do famoso dj. Um filme que tem uma pontinha de romance, grandes cenas de amizade e ao mesmo tempo um bom resumo da música eletrônica, algo que até então, não havia visto um filme que explorasse dessa forma. Se eu fosse dar uma dica a vocês, não assistam com grandes expectativas…o filme é divertido, dramático e dançante. Mas sem grandes surpresas. E mais uma vez, que droga de título colocaram aqui no Brasil, infelizmente, o nome do filme assusta metade do público. Uma pena.