Halo

Introdução

Halo: Broken Circle, é um prequel baseado na franquia de jogos Halo. Confesso ter jogado poucas vezes o jogo, mas me interessei muito com a premissa do livro. Ou seja, me joguei de cabeça num universo diferente. O universo do jogo é repleto de espécies no Universo, ou seja, tem bastante narrativa a ser explorada. Nesse livro, conhecemos a origem da Guerra Humano-Covenant. Covenant, pra quem não sabe, é uma aliança militar teocrática feita por algumas raças aligenígenas. Eles adoram os antigos Forerunners, que são seres de tecnologia bem avançada que lutaram contra os Floods, um grupo de parasitas que tentavam destruir toda a via láctea. Os seres humanos são vistos como hereges, ou seja, com uma visão fanática e ditadora, os humanos começam a ser exterminados, tornando um verdadeiro e legítimo genocídio contra a nossa espécie.

Sobre John Shirley

Foto -John Shirley

Ele é o beneficiário da Horror Writers Association’s Bram Stoker Award e venceu o International Horror Guild Award por sua coleção Black Butterflies. Shirley possui bandas punk e escreve letras para as suas próprias músicas, assim como também para Blue Oyster Cult e outros grupos. Hoje em dia devota a maior parte do seu tempo a escrever para a televisão e cinema.

Narrativa

Confesso que me surpreendi com a narrativa, mesmo sendo um livro curto, é possível ter muito conteúdo e trazer boas cenas de ação pra narrativa. Dividio em suas partes: Um lugar de refúgio (o passado – ano de 850) e Um convinte para a Dança do caos (o presente, que é representado na capa da obra – ano 2552).

A trama pode ter nome de espécies bem difíceis de se memorizar, mas em poucas páginas tudo isso fica mais claro, felizmente, John Shirley se preocupou em criar uma trama em que qualquer pessoa seja capaz de ler, mesmo sem ter conhecimento vasto sobre o jogo. A descrição das espécies e dos personagens é bem desenvolta, bem como os ambientes, ou seja, o leitor não fica com a sensação de peixe fora d’água por muito tempo. Preciso comentar sobre suas espécies de alienígenas que estão bem presentes na trama: Sangheili, são de extrema força, tendo grande aptião ao combate e táticas militares. Enquanto os San’Shyumm são seres mais políticos e são tidos como profetas. Ou seja, são espécies opostas em visão e apitidão física.

Diagramação e capa

Li poucos livros da Fabrica 231, mas confesso que todos que li tem uma proposta de diagramação bem agradável, nesse caso não foi diferente. A leitura flui bem. A capa do livro é universal em todas edições, provável que seja uma exigência do autor.

Considerações finais

O livro pode ser lido fácilmente tanto pra quem aprecia o jogo quanto pra quem tem curiosidade em se aventurar. Os nomes e as espécies são um pouco confusas de se decorar, mas com o tempo, conseguimos assimilar com mais facilidade o que torna uma leitura pra lá de agradável.