Para Sempre Ana – Sergio Carmach 

Edição: 1
Editora: Caravansarai
ISBN: 9788589862516
Ano: 2011
Páginas: 336
Blog do autor: Sergio Carmach – Para Sempre Ana
Comprar: 35.90

Na mística Três Luzes, o leitor percorre inicialmente três momentos afastados no tempo, onde três homens, de três gerações da família Rigotti, experimentam situações-limite pela influência de uma mesma mulher: Ana. A partir daí, a narrativa o leva a uma instigante viagem, nem sempre linear, entre meados do século XX e o início do XXI, na qual os dramas, o passado, o verdadeiro caráter e os segredos de cada personagem são pouco a pouco desnudados. A trama é conduzida pela busca de Ana e pela busca por Ana, forasteira misteriosa que abala os triluzianos e cuja trajetória se funde à dos demais em uma história carregada de luzes e sombras. A busca de Ana arrebata as emoções; a busca por Ana arrebata os sentidos. E ambas surpreendem. Sempre que tudo parece esclarecido, detalhes antes considerados sem importância provocam uma reviravolta geral na história. Até o último capítulo. Descubra se os mais atordoantes segredos de Três Luzes estão mesmo nos céus ou no fundo da alma de seus moradores.

proibido

Introdução

Sergio Carmach é parceiro do Macchiato e disponibilizou gentilmente um minilivro para que esta resenha fosse feita. A sinopse me intrigou. Gosto de tramas que envolvem várias gerações. A premissa já desenvolve uma grande parcela da estória e cumpre o que promete. Envolve de maneira com que em poucas páginas, fique entregue aos mistérios e segredos dos habitantes de Três Luzes.

Narrativa

Sergio elabora uma narrativa muito intrigante e amarrada. Pois a cada capítulo algo novo e surpreendente é desvendado. A sensação é a de uma radionovela – o vento da noite,as discussões entre alguns personagens – evocam sensações mesmo que não tenham a grande intensão de serem sonoras . Os diálogos evocam surpresa.

A narrativa não é linear, ela vai e volta constantemente. Porém, tudo é bem especificado. Há uma lógica interessante nessas indas e vindas na vida desses personagens. Que são muitos, porém cada um tem sua particularidade bem delineada. É uma teia de relacionamentos no qual há muitos segredos (enlouquecedores) e confissões por parte dos mesmos.

Momento Macchiato

Não colocarei o quote dessa vez, pois a paginação é diferente do livro (li o minilivro). Porém, é o momento em que Cláudia entrega a carta – do Nestor Rigotti para o filho, Carlos Rigotti – a Ana. A personagem Ana, fiz questão de desenhá-la menor do que ela realmente era. Pois era um momento de muita tensão e no qual ela aparentemente sentia-se diminuída e envergonhada.

Considerações Finais

O que me agradou muito, foi o fato de que nenhum personagem é bom ou mal. Não há esse maniqueísmo muito comum nesse tipo de narrativa. Todos têm seus motivos e momentos. A ambientação da trama é muito convincente. A cada página somos transportados para aquela encantadora cidade.

Confesso que de início Ana não me parecia alguém muito agradável, mas aos poucos foi surpreendendo com seus segredos e sentimentos que são encantadores e corajosos, em sua maioria. Ana é corajosa e guerreira, pois nem tudo é o que parece (como havia dito, no começo Ana me parecia alguém frágil e coitadinha).

E esse jogo de mistério e ações surpreendentes que permeiam a trama e fazem com que Para Sempre Ana, seja uma boa leitura para todos que apreciam o gênero. Pois tem a oferecer momentos rápidos e sufocantes em contraste com momentos longos e proveitosos.

Feliz dia do leitor!