O Sonho de ser escritor – Elder Prates 

Edição: 1
Editora: Livro Pronto
ISBN: 978857869283
Ano: 2011
Páginas: 75
Sites do autor: Elder Prates
Comprar: R$ 20,00

“Nem sempre somos dores, nem sempre somos fortes… E só seguimos, porque existem sonhos”. Sonhos… O que os definem e ou os diferem? Diferentes cérebros, conheceres, desejos, critérios, etc. Escrever um texto ou livro, com ou sem um verbete. Ser erudito ou comum, inscrito ou proscrito. Seguir simplesmente ou emergir do “mundo” do medo, despindo-se do obsoleto cruel que envolve e sucumbe sonhos. Um emergir em desejos prolíferos descritos em contos contíguos define seu norte. Ser escritor. Consciente do difícil percurso descreve seu ir e vir num frenético recomeço. Em trens, ônibus e metrôs expõe grilhões que ferem e reduzem o ser livre, porém contido, que no refúgio de seu loft, no conforto de seu “pufe” e em conjunto com seu notebook constrói o que premeditou. Do sonho pueril surge o inconteste. Despindo seres fictícios rompe com seus temores e conduz com lucidez o verbo ser, inscrito no presente e no futuro, descrevendo o efêmero, o infinito e, seus possíveis encontros consigo e com o mundo: “Sou um lírio perdido no imenso, Torcendo e querendo outro beijo…” @ngel@ Budd@. Obs.: Este livro foi escrito sem a letra “a”.

proibido

Introdução

Em parceria com o autor Elder Prates, mais uma resenha + sorteio do livro O Sonho de Ser Escritor.

Narrativa

Diferente do livro Despir da Alma que são poemas. A temática do livro é simples: as dificuldades que existem para quem quer ter uma carreira consolidada no ramo da literatura. Se destacar em meio de milhares de autores e a dificuldade de ter o seu livro publicado.

O livro é criativo e provoca debates sobre o mundo competitivo. A necessidade de criar o novo e que agrade aos editores e aos leitores.

A narrativa conta um pouco do que Elder passou e passa como escritor em meio a ficção do personagem em busca de reconhecimento. Adoro livros que abordem esse tema, talvez esse seja um grande motivo para eu gostar tanto de Woody Alen, que trabalha seus livros e filmes de modo que fale sobre o que é ser diretor, o que é ser escritor. Trabalhando a palavra a favor da boa estória. Seja ficção ou não é uma reflexão muito gostosa de ter a oportunidade de contato.

Momento Macchiato

“-Filho, eu só vim ver você, esquece esse negócio de texto que eu comentei. Hoje eu só quero um encontro feliz contigo, só isso.

– Nesse momento o choro brotou de mim, me joguei no colo do meu velho. O tempo mostrou-se remédio, de novo nós dois juntos.

– Eu só quero ver você feliz, meu filho. Você pode ser escritor, filósofo, pedreiro, copeiro, doutor, você ser o que for que sempre serei teu velho, como você mesm diz.- pág 25

Considerações Finais

É um livro curto, porém é possível ler uma, duas, três vezes e não cansar. Vale ler, vale reler. É um breque para aqueles que se acham geniais, mas é um vá em frente e corra atrás dos sonhos, pois mais vale tentar do que deixar na gaveta.