Eu demorei. Sim, eu sei que demorei bastante para fazer essa postagem. Mas o motivo foi bem plausível. Quis reunir toda a experiência que tive durante a minha ida. E agora, posso dizer pra vocês, minhas impressões da primeira feira do livro internacional do livro que tive a oportunidade de visitar.


Feria Internacional del libro de Buenos Aires

Ela ocorreu do dia 21 de abril até o dia 9 de maio.

Estava aberta a todo o público nos seguintes horários: Segunda à sexta das 14h às 22h – Sábados e domingos das 13h às 22h.

Teve um dia (não me recordo qual), onde eles ficaram a madrugada toda e achei bem interessante, pois a entrada era gratuita.

Optei por ir no dia 1 de maio, feriado do dia do trabalho e não me arrependi. A feira não estava lotada e pude ver cada estande com paciência e disposição. Para evitar filas, comprei os ingressos antes de ir pra lá, imprimi e levei na mala. O preço de cada ingresso saiu por 70 pesos.

Localização e mapa do evento

Um diferencial é que a feira tinha 3 entradas distintas, ou seja, para entrar não havia tumulto nem filas enormes (tirando a de compra de ingressos).

Transporte

O acesso ao local onde ocorre a feira era bem fácil. Como eu me hospedei em um lugar perto do La Rural, fiquei a mais ou menos 400m. Não tive que pegar metrô. Mas, quem estivesse em outra localização, precisava descer na Plaza Italia, a estação mais próxima. O preço na época era de 5 pesos por bilhete e ele literalmente te deixa na porta da feira.

Estandes

Os estandes eram compostos por editoriais, distribuidoras, livrarias da Argentina e do exterior. Também tiveram estandes de instituições culturais e educativas.

A surpresa foi conhecer outras editoras que não existem no Brasil, mas é claro quando você encontra selos e editoras que existem aqui. Fiquei mais curiosa em conhecer quais os títulos são de qual editora e muitos são bem diferentes dos nossos.  Selecionei alguns que gostei bastante e comento um pouquinho das minhas impressões deles.


O estande do grupo Penguin Random House era um dos maiores estandes. Largo, amplo e de fácil acesso. Em evidência os lançamentos, mas possuiam muitos títulos a disposição. Até o de outros selos menores do grupo. Dos clássicos aos livros mais recentes.
O estande do Grupo Planeta também era enorme, com espaço e uma diversidade boa de livros. Mas vi muitas reclamações de leitores que não encontravam determinados títulos e não tinham livros de reposição.
Foi considerado um dos estandes mais bonitos da feira, mas a quantidade de títulos não era farta. A V&R estava comemorando 20 anos e alguns livros estavam com boas promoções de combos de primeiros livros de séries do catálogo.
O estande do editorial El Ateneo também possuia bons titulos de vários gêneros e destinado a várias idades. Porém, os preços não diferenciavam dos preços de livraria. No dia que fui, não havia promoções.
A Sm tinha um estande tímido, mas que era bem convidativo, publicações infantis e alguns títulos mais voltados para o público jovem.
O estande do Grupo Editorial Del Nuevo Extremo, também era bem interessante, tinha alguns livros em promoção e era bem chamativo.
Esse foi meu estande favorito. Criativo, pequeno e que chamava bastante atenção. Só consegui fazer o clique meio vazio no começo, quando voltei lá, já estava tomado por leitores curiosos. Os livros e artigos de papelaria que tinha nesse estande, deixaria qualquer designer e ilustrador doidinho!

Eventos

Como fui em um dia só, tentei aproveitar a experiência ao máximo. Tive oportunidade de ir em 3. Havia 10 salas diferentes de capacidades distintas, era preciso chegar cedo para garantir a entrada.

  1. Ejército Argentino – ocorreu na pista central de la Sociedad Rual, onde o exército argentino encenou o cambate de San Lorenzo comandado pelo general San Martín. Foi uma das experiências mais interessantes que tive durante a viagem, o sentimento de patriotismo deles foi tão grande, que eu – que nem sou uma pessoa emotiva – me desabou.
  2. Academia Argentina de literatura infantil e Juvenil – foi uma experiência totalmente nova, saber um pouquinho sobre como funciona o mercado com gente que trabalha nele.
  3. E um evento da Fundación El Libro, que o tema era “Contar la Vida”. Onde houve um diálogo com vários escritores latinoamericanos.

Promoções

A minha motivação da feira não era pechinchar e nem comprar tudo que visse pela frente (como geralmente faço aqui). Mas minha experiência com promoções foi bastante positiva. Geralmente as melhores eram de distribuidoras e tinha para todos os gostos. Desde livros infantis, juvenis até biografias, não-ficção, best-sellers, culinária, arte e religiosos.

Alimentação

Os preços variavam bastante e tinham opções dentro e fora dos pavilhões, em média 40-50 pesos, em alguns havia combos por 90-80 pesos. Desde refeições completas até lanches e doces. No geral, tudo bem localizado, mesmo não havendo um local só para isso. O que acaba sendo até mais cômodo para os visitantes.

Compras

Nessa foto, somente Alice y la mosca foi comprado no El Ateneo Grand Splendid, os outros foram comprados na feira!

O câmbio que fiz não foi tão propício a compras. Fiz uma compra durante a feira: 4 livros e 4 hq’s (de presente para o meu irmão <3) no mesmo estande. Mas foi tudo escolhido a dedo.

Considerações sobre a minha experiência

Não dá para descrever o tanto que aprendi em minha ida ao evento. Tudo foi aproveitado ao máximo e nada foi interrompido por conta disso. Uma feira bem organizada, bem localizada e cheia de atividades interessantes a todo momento. No geral, não tenho reclamação alguma. Pelo contrário, só elogios e uma vontade: voltar no ano que vem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*