Encrenca

ISBN-13: 9788576864103
ISBN-10: 857686410X
Ano: 2016 / Páginas: 307
Idioma: português
Editora: Verus

line

Introdução

Em Encrenca, Hannah Sheppard é uma garota de 15 anos que levava uma vida comum de adolescente e cheia de relacionamentos curtos, até que o colégio inteiro descobre que ela está grávida. E Aaron Tyler, é o único que está ao seu lado, recém chegado na escola, se oferece para fingir seu o pai do bebê. Hannah tem medo que descubram quem é o verdadeiro pai e aceita quase que sem hesitar.

Sobre Non PrattFoto -Non Pratt

É a autora dos aclamados Trouble e Remix. Non Pratt se formou na Trinity College, da Universidade de Cambridge, e foi editora de literatura infantil. Ela mora em Londres com o marido e o filho e atualmente é escritora em tempo integral.

Edições estrangeiras

18138917 23743011

Narrativa

A narrativa é desenvolvida em primeira pessoa, alternando capítulos entre Hannah e Aaron. Sendo assim, podemos ter maior envolvimento com os personagens, entender seus problemas e inseguranças durante a narrativa. Sendo assim, vamos nos aproximando dos personagens e isso acontece de forma bem rápida.

Mesmo que com uma narrativa rápida e com capítulos curtos, Non Pratt, consegue promover bons diálogos e situações durante a narrativa. Hannah e Aaron são dissecados de tal forma que o que conhecemos de início, não é nem 10% do que desenvolvem durante a narrativa. Meu favorito, sem dúvida, foi Aaaron. Hannah é praticamente o extremo oposto do mesmo, mas sabe aquela ideia de que os opostos se atraem? O mistério de quem é o verdadeiro pai se sustenta por bastante tempo.

Os personagens secundários conseguem ser bem desenvolvidos durante a trama, Kate tem maior destaque, e posso dizer, quem precisa de inimiga quando se tem uma amiga disposta a te desmascarar a todo momento? Pobre, Hannah.

Projeto gráfico

Adorei o projeto gráfico do livro, mas a sinopse me despertou bem mais interesse anteriormente. Gostei bastante da diagramação interna.

Considerações finais

Encrenca, me ganhou pela criatividade, pelos questionamentos que a narrativa propõe e o melhor, uma boa trama. Embora você meio que descobre o fim, mas o processo que levam a sua conclusão, são bem mais interessantes.