Família famosa nas redes sociais estará em Porto Alegre para autografar os lançamentos O papai é pop 2 e A mamãe é rock

Na sexta-feira, dia 29/07, Marcos Piangers e sua mulher, Ana Cardoso, lançarão em Porto Alegre os livros O papai é pop 2 e A mamãe é rock. O evento será às 19 horas na Livraria Saraiva do Shopping Praia de Belas, localizada na Avenida Praia de Belas, 1181

A mamãe é rock é um livro sobre mães de verdade, que vivem todo dia na corda bamba. Foi pensando em situações verdadeiras, mas sem perder o senso de humor, que a jornalista, natural de Curitiba, Ana Cardoso deu vida a um livro de crônicas que toca do início ao fim o ritmo que só as mulheres com filhos entendem.

Já em O papai é pop 2,  Marcos Piangers vai colocar você no banco de trás do carro, ao lado das filhas Anita e Aurora, para contar novas histórias – algumas comoventes, algumas divertidas e outras talvez um pouco nojentas – sobre essa coisa absolutamente comum e extraordinária que é ter um filho.

Sobre os autores:

Marco Piangers é jornalista e dá palestras por todo o Brasil sobre as mudanças tecnológicas e as relações familiares. É repórter do programa Encontro com Fátima Bernardes, na Rede Globo, e trabalha com comunicação e plataformas digitais desde 2001. Nascido em Florianópolis, em 2006 se mudou para Porto Alegre, de onde participa do programa Pretinho Básico, um fenômeno de audiência. Publicou O papai é pop em 2015, pela Belas-Letras, livro que virou best-seller e apareceu em todas as listas de mais vendidos do país. Agora o papai pop voltou, atendendo a insistentes pedidos, principalmente da mais nova, a Aurora (De novo! De novo! De novo!).

Ana Cardoso é jornalista e nasceu em Curitiba em 1977. Mudou-se para Florianópolis em 1999, onde trabalhou com esportes radicais na Rádio Atlântida por seis anos, pesquisou rádios e assentamentos do MST e concluiu um mestrado em Sociologia Política. Aos 26 virou feminista, aos 27 casou com o também jornalista Marcos Piangers, aos 28 teve sua primeira filha, Anita. A segunda, Aurora, nasceu sete anos depois. Vive em Porto Alegre desde 2006, envolvida até o último fio de cabelo com pesquisas sociológicas, grupos feministas e a família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*