Introdução

A convite da Seguinte, recebi a prova antecipada do livro. Já tinha altas expectativas do mesmo,  por ter visto um vídeo de uma booktuber gringa que adoro, chamada jennaclarek.

Em Tash e Tolstói, Natasha (Tash) é uma jovem de 17 anos que está no segundo ano do Ensino Médio. Ela tem dois canais no youtube, um onde não exige bastante produção que se chama Chá com Tash e outro chamado Familias Infelizes, uma websérie que criou com amigos que é uma adaptação moderna do clássico Anna Kariênina, do Tolstói. Da noite para o dia, a websérie se torna um viral após uma grande youtuber, Taylor Mears, recomendá-la em um vídeo, ganhando assim, o reconhecimento e uma indicação à Tuba Dourada, uma espécie de Oscar das webséries que lhe dará a oportunidade de finalmente conhecer Thom, um youtuber que ela tem uma quedinha.

Sobre Kathryn Ormsee

Gosta de roupas dos anos 60, músicas dos anos 70 e filmes dos anos 80, mas nasceu nos anos 90. Natural do Kentucky, nos Estados Unidos, já morou na Espanha e na Inglaterra e foi professora de inglês. Hoje vive na cidade de Nashville e, além de se dedicar à escrita, também dá aulas de piano.


Edições estrangeiras

29414576 35496810

Narrativa

Sabe aquele livro que você devora despretensiosamente? Foi minha experiência com esse livro, tranquilo de ler e que aborda um tema que ainda não tinha lido em nenhum livro do gênero: Tash é uma assexual romântica, ou seja, ela tem interesse por garotos, mas não tem nenhuma vontade de ter relações sexuais. O livro é narrado na perspectiva de Tash e embora a trama se concentre nela, temos uma gama de personagens interessantíssimos e super participativos na obra como um todo.

O livro é contemporâneo e aborda vários assuntos que vão além da websérie e da vida nada comum de Tash e seus amigos, como por exemplo como lidar com as críticas, a paixão platônica por um autor,  a ida da irmã de Tash, Klaudie para a faculdade, o pai da Jack (sua melhor amiga) e do Paul que está com remissão de um câncer, entre outros.

A narrativa em nenhum momento é superficial, a trama é bem desenvolvida e deixa até os leitores mais atentos interessados em tudo o que está acontecendo nos bastidores.

Projeto gráfico

Projeto diferente e bem executado pela editora, adorei a capa embora não tenha gostado da quarta capa, por ter um texto de início pouco legível, espero que não mantenham na edição original. A diagramação não foi levada em consideração por ser uma prova antecipada, bem como, os erros ortográficos e de digitação.

Considerações finais

Tash e Tolstói, foi uma boa surpresa que acabou cumprindo seu papel e até impressionando pela miscelânea de assuntos que conseguiu abordar sem tropeços. Tash é uma personagem inspiradora, cheia de bom humor e muito motivada, acompanhar todo o desenvolvimento dela como pessoa e como lida com a websérie, é uma viagem deliciosa a um mundo que estamos bem próximos e admiramos.