Tartarugas Até Lá Embaixo

ISBN-13: 9788551002001
ISBN-10: 8551002007
Ano: 2017 / Páginas: 256
Idioma: português
Editora: Intrínseca


Introdução

Hoje começa uma semana especial dedicada ao mais novo lançamento do John Green. E para começar a semana com o pé direito, a resenha sobre minha experiência com o livro. Espero que gostem!

O livro chegou como cortesia da Intrínseca e assim que ele chegou já passei na frente das leituras. Estava ansiosa, já tinha um bom tempo sem ler algo novo do John. A expectativa não era muito alta, mas no fim, foi a melhor forma de encarar essa nova empreitada.

Em Tartarugas até lá embaixo, Aza Holmes, é uma jovem de 16 anos que tem uma vida comum até certo ponto, ela possui o que chamamos de TOC (transtorno obsessivo-compulsivo). Ela tem uma amizade muito grande com Daisy, um garota doidinha e excêntrica que quando alerta a amiga sobre o desaparecimento de um bilionário da cidade, Aza se reaproxima do filho do figurão de mesmo nome (Davis Pickett) com o objetivo de conseguir pistas que levem ao paradeiro e os tentadores 100 mil dólares que estão pagando. Inicialmente é isso, mais pra frente, chega a ser muito mais. Ah, a trama se passa na cidade natal de John Green, Indianápolis.

Sobre John Green

Resultado de imagem para john green

John Green é um dos escritores norte-americanos mais queridos pelo público jovem e igualmente festejado pela crítica. É autor best-seller do The New York Times, premiado com a Printz Medal, o Printz Honor da American Library Association e o Edgar Award e foi duas vezes finalista do prêmio literário do LA Times.


Edições estrangeiras

3646443236471158 36343047

Narrativa

Narrado em primeira pessoa, confesso que gostei bastante de ter a visão da Aza em todos os momentos que a trama permitiu. É uma garota cheia de vontades, sonhos e que tem um elo muito bacana com sua melhor amiga. Daisy é a minha personagem favorita, me reconheci em muitos dos seus momentos e diálogos. Embora ela ganhe de mim no tom excêntrico.

O tom biográfico da trama é questionável, por isso vemos ele fazendo ele tão bem e de forma tão natural. John tem TOC, John conhece a cidade com a palma da mão, John trás uma ambientação muito bacana pra narrativa. A maioria dos dilemas de Aza, podem ter um quê de John Green, ou não.

Referências a cultura pop, são muitas. Principalmente as de Star Wars (que geralmente vem da fanfic da Daisy sobre Ren e Chewie ♥, já disse que me apaixonei por essa menina? hahaha)

O desenvolvimento da narrativa é gradual, sem muitas reviravoltas. Como a maioria dos livros do Green é uma expécie de jornada. Tudo é uma aventura.

Projeto gráfico

Boa escolha de capa e cores. Tudo tem uma conexão com a narrativa de um jeito único. Talvez seja a capa que tem maior sentido em todos os livros do Green. A diagramação é confortável e o corpo do texto também favorece a boa leitura.

Considerações finais

Tartarugas até lá embaixo, é uma experiência diferente, intensa e cheia de bons momentos. Green não perde o encanto. Tanto dos personagens secundários quanto de seus protagonistas, sempre tem uma reflexão ou um motivo para estarem ali, com seus diálogos geeks e seus pensamentos mais íntimos sendo colocados de uma maneira simples e convincente.

Total
1
Shares

comentários

  1. Amy!
    Não sabia que o John Green tinha sido diagnosticado com TOC.
    Deve ser muito complicado sentir pensamentos intrusivos constantemente ‘entrarem’ na nosa mente e tornarem a vida bem complicada.
    Gostei de ver que além do mistério do desaparecimento, outros temas foram aborados, como a injustiça e questões existenciais.
    Claro que quero fazer essa leitura.
    Desejo uma semana carregadinho de luz e paz!
    “ Inteligência não é não cometer erros, mas saber resolvê-los rapidamente.” (Bertolt Brecht)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

  2. Realmente. Ele não perde o encanto! Também gostei muito da Daisy, principalmente pelo amor a Star Wars, que é algo que compartilhamos. Mas me identifiquei muito com a Asa também. Em muitos momentos. No fim, como sempre, valeu muito a pena ler John Green ♡

  3. Tenho visto resenhas com opiniões bem contraditórias a respeito desta obra, uns gostam muito, e outros nem tanto, porém a forma como o autor aborda o assunto TOC, foi o que me cativou, de maneira sensata, mas real, com personagens envolventes e cativantes, e diálogos muito bem construídos. Por esta razão quero muito ler esta obra.

    SORTEIO NO AR: http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

  4. O livro aborda uma doença que muitos ainda desconhecem!! E pensar que a ansiedade pode causar um grande desconforto na vida das pessoas. O que podemos sentir lendo esse livro são sentimentos de amor, amizade, impotência, raiva. Penso que John Green consegue descrever muito bem os sintomas do TOC, pois ele mesmo tem que lidar com a doença!! Porém como o próprio autor diz: “Posso resumir em três palavras tudo o que aprendi sobre a vida: a vida continua”.

  5. Um livro que traz um tema tão diferente do que costumamos ler pode ser uma boa leitura e um ótimo aprendizado. A ansiedade em demasia traz transtornos que não podemos avaliar como pode fazer a pessoa sofrer e o autor fala por experiência própria de um assunto que ele conhece bem por viver o problema.

  6. Doida pra ler esse livro, o tema TOC muito me interessa, curto muito a escrita do John Green, preciso desse livro pra ontem.

  7. Eu li apenas o livro Quem é você, Alasca? Dele e gostei. Queria poder ler mais livros de Jonh Green.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*