A Culpa é das Estrelas – John Green

A Culpa é das Estrelas

Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580572261
Ano: 2012
Páginas: 288

Em A Culpa é das Estrelas, Hazel é uma paciente terminal de 16 anos que tem câncer desde os 13. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

proibido

Introdução

Um livro pra se ler, reler e reler. Pois em poucas páginas o gosto de quero mais, embora o livro tenha um ritmo muito bem traçado. Uma descoberta e tanto. John Green ganhou mais uma fã chorona.

Narrativa

A narrativa de Green, simplesmente vicia, em poucos capítulos já está inserido e acreditando na vida dessa garota que tem de conviver com uma das doenças mais temidas por todos. O livro desde o início é avisado que não se trata de uma história real, é uma ficção. E que o poder da ficção pode te fazer acreditar que aquilo aconteceu, foi possível. O livro é narrado em primeira pessoa, isso atrai o leitor a conviver com a protagonista e aos poucos adquirir carinho. Apesar de se tratar de um tema tão complicado, ele é suave, doce e até divertido.

Hazel tem câncer de tireoide com metástase nos pulmões porém ela tem um senso de humor muito afetado e mesmo com a doença ela consegue cativar. Não fica se lamuriando (grande parte do tempo). Ela vai ao grupo de apoio por seus pais, pois ela realmente acha que não precisa de um. Porém, por fazê-los felizes, ela é capaz de tudo. Inclusive, fazer o que não quer.

Augustus é um galanteador nato, desde o primeiro momento que põe os olhos em Hazel, algo acontece na vida de ambos. Já podem imaginar o que né? No, spoiler.

Isaac é amigo de Augustus, e na verdade o amigo pediu para que viesse nas reunião do grupo de terapia… Aos poucos aparece na história e encanta bastante, o amor dele por Mônica ultrapassa qualquer barreira que a doença lhe foi imposta.

A utilização de outras obras no meio dessa, torna mais interessante ainda, o autor cita filmes, livros e autores super interessantes que devem ser procurados após leitura.

V de Vingança é comentado por Augustus durante o início da amizade com Hazel. Que por acaso é um dos filmes que mais gosto. Ou seja, me fez encantar de vez com o livro.

A guetização dos ovos mexidos é bem complexa e relevante, um dos pontos altos do livro é esse discurso. Parece bobo, mas não é. Engraçado, polêmico e bem articulado, como a obra de John Green se revela ao longo das páginas.

Um dos assuntos tratados que mais me chamou atenção no livro, foi como Hazel fica curiosa quanto ao final de um livro que não tem continuação. O livro a motiva tanto que vai em busca de respostas. Um livro que fala sobre outro livro. A narrativa utiliza de um recurso chamado metalinguagem, no qual grande parte da narrativa tem impulsionamento em outro livro fictício.

O livro provoca emoções que ficam afloradas nos pensamentos do leitor. A trama é tão bem trabalhada que realmente acreditamos e torcemos por um desfecho que não acontece.

Momentos Macchiato

“Ahhhhh! – Falei. Minha mãe era totalmente adepta da prática de maximizar as celebrações de datas comemorativas. Hoje é o dia da árvore! Vamos abraçar árvores e comer um bolo! Colombo trouxe varíola para os nativos da América; precisamos festejar a data com um piquenique! etc. – Já que é assim, feliz trigésimo terceiro meio aniversário para mim – completei.”

“-Eu sou tipo. Tipo. Sou tipo uma granada, mãe. Eu sou uma granada e, em algum momento, vou explodir, e gostaria de diminuir a quantidade de vítimas, tá? […]”

Considerações Finais

John Green, teve um grande acerto ao escrever essa história, apesar de que são poucas páginas, o conteúdo ali presente convence e encanta. Agora eu entendo, a culpa é toda do John Green. Obrigada por ser culpado. Uma história que vai te arrepiar, emocionar e fazer refletir sobre a vida e a suas próprias escolhas. DEZ.