Você Está Sendo Vigiado

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580410686
Ano: 2012
Páginas: 272

Patrick Davis tinha um sonho: ver seu nome nos créditos de um filme. Mas não imaginava o preço que teria de pagar por isso. Logo depois de vender seu primeiro roteiro a um estúdio, sua vida entra em colapso. Ele não consegue se firmar como roteirista de Hollywood e, para piorar, seu casamento mergulha numa crise.

Misteriosamente, Patrick passa a receber DVDs com gravações dele e da esposa dentro de casa. Após descobrir câmeras escondidas, o casal procura a polícia. Dias depois começam as ligações e os e-mails anônimos propondo um acordo para que tudo volte ao normal. Desesperado, ele não hesita em aceitar a oferta.

Mas sua decisão se revela um erro. Logo ele se vê envolvido numa rede de intrigas que pode custar sua vida e a das pessoas que ama. Cada vez mais acuado, Patrick percebe que só há uma saída: superar seus inimigos ocultos no próprio jogo deles.

Eletrizante da primeira à última página, Você está sendo vigiado foi um enorme sucesso de crítica nos Estados Unidos, fazendo com que Gregg Hurwitz fosse apontado como uma das revelações do suspense, comparado a grandes mestres do gênero, como Harlan Coben.

proibido

Introdução

Eu sou suspeita a falar de livros do gênero. Um dos motivos de escolhê-lo para resenhar, foi o fato da trama ter como protagonista um roterista de Hollywood que começa a ser filmado em sua residência, por alguém e assim o jogo de intrigas, mentiras e muito suspense.

Narrativa

A escrita de Gregg é totalmente viciante. Lembro que nas primeiras duas páginas já estava segurando o livro com mais firmeza e a vontade de desvendá-lo era muito grande. Confesso que não acertei sobre o seu fim, de fato foi muito bom não ter acertado, pois Gregg pode me mostrar que histórias assim podem ter versões muito mais interessantes, inovadoras e fortes de se ler. É um pouco maldoso da minha parte, mas ele tem a escrita e o desenvolvimento muito próximo dos livros do meu (amado) Harlan Coben. Isso contribuiu bastante para que a história de fato fluisse.

Um dos motivos para atração do livro é o fato de que no mundo em que vivemos é muito comum se sentir vigiado/perseguido por alguém. Eu já me senti vigiada, não sei se de fato fui. Mas é algo que provoca bastante medo, tensão e arrepios. A trama de Gregg mesmo que não seja sobre nós, dá pra ser sentida, vivida e tem de ter bastante sangue frio para ir adiante. O que me deixou um pouco confusa é como ele trabalha para a resolução da trama. Achei bastante inconclusiva e fria. Nada que pudesse ser lembrado por ter sido criativo, voraz ou interessante. Nesse ponto, o livro de Gregg deixou bastante a desejar. É aquele livro que começa bem e infelizmente descarrila na melhor parte do livro.

Momento Macchiato

“Confuso, afastei-me da TV e me sentei, derrubando a cadeira e me estatelando no chão. Eu não conseguia tirar os olhos da tela, ainda que o comercial tivesse chegado ao fim.

De repente a porta se abriu e Kent Gable entrou acompanhado de alguns homens de terno. Reparei no volume dos coldres sob seus paletós, com distintivos reluzindo nos cintos. A divisão de roubos e homicídios se materializava à minha frente. Caído no chão, achei Gable ainda mais alto. O piso daquela sala tinha a temperatura da morte. Em fração de segundos um arrepio se espalhou pelo meu corpo.

– Desculpe, Patrick – falou. – A lua de mel chegou ao fim.” – pag 144

Considerações Finais

Confesso que não conhecia o autor e me surpreendeu saber que ele já tem 11 livros publicados e uma longa carreira no cinema e no mundos dos quadrinhos. Procurarei mais obras do autor para ler e comentar para vocês, ok?