A Vida Acima de Tudo – Allan Stratton

avida_review

Edição: 1
Editora: Prumo
ISBN: 9788579271908
Ano: 2012
Páginas: 256
Tradutor: Mariana Varella

A jovem e espirituosa Chanda sonha com uma carreira e um mundo melhor. Em muitos aspectos, ela se parece com qualquer adolescente de 16 anos, mas a sua história se passa na África do Sul, devastada pela epidemia de AIDS. Em um território no qual a moral conservadora de seu povo, assim como o pavor e a superstição que rodeiam a doença, impede que as pessoas lidem com seus problemas e busquem tratamento, Chanda é obrigada a guardar os segredos de sua família para protegê-la da intolerância e do preconceito de quem deveria lhes entender a mão. Quando o HIV não é apenas uma ameaça distante, mas um veneno invisível e assustador que assola sua família, alimenta seus pesadelos, dilacera seu coração e ofusca seu futuro, como alguém pode se tornar um adulto amoroso e corajoso? Pois este é mais um dos segredos de Chanda.

proibido

Introdução

A vida acima de tudo é um livro extremamente tocante. Ele revela um dos maiores problemas da África pelos olhos de uma jovem adolescente. É um livro que mexeu com minha cabeça de modo profundo e de modo bastante reflexivo. Além disso, é um livro que vai falar sobre a família e a amizade de Chandra.

Narrativa

A narrativa de Allan é pautada numa realidade muito séria. A disseminação da AIDS não só na África como no mundo todo é uma doença que assola muitos lugares. A família de Chanda passa por vários momentos, alguns vão morrendo e outros se mantém pra que os vizinhos e amigos não saibam o que se passa. Chanda é uma garota inteligente e que quer ser bem sucedidade, sua amiga Esther. Um dos bônus da trama é a convivência entre as duas. Outro ponto muito forte é a relação de Chanda e sua mãe. Com personagens desenvolvidos, alguns mais do que os outros, mas se nota a importancia de cada um ali presente. Resumindo, o livro conta sobre como Chanda lida com toda a situação a volta dela. Ela carrega uma maturidade precoce e de uma maneira bastante segura. A menina é uma pequena guerreira que aos poucos vai lidando com a perda. De início é uma pessoa e ao fim dessa história, é outra. Uma bem mais determinada e pronta para qualquer problema que a vida lhe guarde.

Diagramação

Bastante caprichada e propõe uma leitura bastante confortável. Fonte agradável, capa remete ao conteúdo.

Quote favorito

“Ouvir “Sinto muito” é bom. O que detesto é: “Foi melhor, Sara está com Deus”. Sinto vontade de dizer:”Se estar com Deus é melhor, por que você não se mata?” Também odeio: “Confie em Deus, ele tem seus motivos”, “É mesmo? Os mesmos motivos que teve para fazer de você uma pessoa idiota e feia?”

Pensar nessas coisas faz com que eu me sinta culpada. Quero que Sara esteja com Deus, quero acreditar que Ele tem motivos para as coisas. Porém, mais que tudo, quero Sara viva. Não suporto que ela tenha morrido. E detesto que as pessoas tentem fazer eu me sentir bem com isso. – 72

Considerações finais

O livro foi adaptado pelo cinema e estou tentando achá-lo para ver como ficou a adaptação. É um livro que é bastante imagético. Creio que trabalharam facilmente na elaboração do filme. O livro é um dos meus favoritos do ano. Pois tem uma narrativa diferente, uma discussão séria e de modo bastante real. Allan fez um ótimo trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*