Edição: 1
Editora: Gaivota
ISBN: 9788564816251
Ano: 2012
Páginas: 17

Uma história sobre o tempo e a falta que o tempo faz. Uma história sobre a memória, este cofre precioso onde guardamos o nosso mais significativo tesouro: nossas lembranças! Com delicadeza e muita poesia, Caixinha de guardar o tempo se abre para o leitor com o convite irrecusável de embarcar sempre no melhor de cada momento!

proibido

Introdução

Um dos livros indicados pelo prêmio Jabuti, o livro a Caixinha de Guardar Tempo de Alessandra Roscoe e publicado pelo Editora Gaivota, surpreende.

O livro vai além de imagens bem feitas, mas leva questionamentos que carregamos conosco durante a vida.

Narrativa

Lia é uma garotinha que criou uma caixinha onde colocava todos os seus sentimentos, acontecimentos e alegrias dentro de uma caixinha. Para que nunca esquecesse dos tempos vividos.

Afinal, quem não gosta de recordar momentos que viveu? É assim com a protagonista do livro, ela quer guardar memórias em uma caixinha. Sendo assim, sempre que puder acessar a caixinha, vai se lembrar daqueles momentos vividos com muito carinho e jamais esquecê-los.

A trama é bem curta (até dá saudade), mas é um tema que deixa qualquer adulto pensativo (pelo menos foi o que aconteceu comigo). Pois nos leva a um passeio imaginário que pode durar muito tempo (olhe aí de novo, falando do querido).

A trama envolve o tempo, memória, saudosismo e a celebração da vida.

Diagramação

Mais uma vez a editora acertou em cheio e fez uma capa, ilustração e diagramação impecável.

O ilustrador do livro é o Alexandre Rampazo, que durante muito tempo trabalhou como diretor de arte para publicidade, designer desenvolvendo capas de livros infantis e projetos editoriais.

Autora

É mineira de Uberaba e mora em Brasília desde os três anos de idade. É jornalista, escritora, com quatorze livros publicados e, desde 2007, comanda o blog “Contos, cantos e encantos”, http://contoscantoseencantos.blogspot.com,dedicado à literatura e à arte voltadas para a infância. Alessandra é também contadora de histórias e mediadora de leituras com projetos que incentivam desde a leitura para o ventre, com casais “grávidos”, até a busca da reconstrução da memória a partir da literatura com idosos pacientes de alzheimer. Aliás, neste trabalho com os idosos, Caixinha de guardar o tempo foi a semente que desencadeou todo o processo!

Considerações Finais

Um livro curtinho, destinado a um público que cada vez mais cresce, mega colorido e muito bem articulado em suas palavras, Caixinha de Guardar Tempo, mais do que merece a indicação e o encanto por parte dos leitores.

comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*