Edição: 1
Editora: Geração
ISBN: 9788581300733
Ano: 2013
Páginas: 354
Tradutor: Ana Death Duarte

A Terra não existe mais, e em duas naves que procuram um novo mundo no espaço, uma menina de 15 anos precisa casar e engravidar para garantir a sobrevivência da humanidade. Enquanto isso, uma sucessão de acontecimentos eletrizantes torna a jornada pelo espaço algo absolutamente imprevisto. Temas como religião, a escolha da mulher e a ideia de poder e dominação vão aparecendo muito suavemente articulados ao longo da trama, amarrando o leitor com surpresas e reviravoltas estonteantes. São temas universais, postos num livro por uma escritora surpreendente e que promete arrasar a cena literária a partir desta sua fantástica criação.

proibido

Introdução

Sabe aquele livro que você acha que não é nada demais? Até que você começa a lê-lo e nota que é um dos melhores que já leu? Pois é, foi o que aconteceu com Brilho. Eu demorei a colocar essa resenha pelo seguinte motivo: eu só rasgaria elogios. Fiquei pensando um tempão em como começá-la e queria fazer algo a altura. Para que pudessem entender como foi essa leitura pra mim.

Em Brilho (o primeiro volume de uma trilogia – SIM! Mais uma, mas essa vale a leitura!), encontramos uma trama que se passa num momento onde não existe mais Terra. Os humanos sobreviventes, estão em 2 naves espaciais (New Horizon e Empyrean) para encontrar um novo lugar para viver.

O foco da trama está em Waverly, uma garota de 15 anos que mora na Empyrean e correm boatos que Kieran irá pedi-la em casamento, pois há uma enorme pressão por parte da tripulação em ter filhos. Mas tudo isso muda quando a New Horizon executa um ataque a nave Empyrean, onde todas as garotas são sequestradas. Mas não conseguem entender o motivo.

Narrativa

A narrativa de Amy é muito bem elaborada. Temos dois ponto de vista detalhados, o de Waverly. Nela vemos a grande evolução, a inocência vai adquirindo mais inteligência e experiência ao longo dos acontecimentos. Quando está em New Horizon, sua realidade muda muito (ela é a garota mais velha das meninas que estão com ela, ou seja, ganha mais responsabilidade quanto o fato ocorre). E a visão de Kieran, que tem que lidar com o sequestro das garotas e o caos em que a Empyrean se encontra após o fato, além de que há outros fatos que se abatem ao mesmo tempo.

A leitura é flúida, a trama provoca tanto o imaginário do leitor que nem se vê as páginas indo. Quando termina é aquela sensação de: – eai, acabou? Mas o que acontece? Como vai ser agora? Eu preciso da continuação!

O único ponto que eu acho que faltou ressaltar, é como tudo aconteceu (porque motivo a Terra deixou de existir, como foram divididas essas naves, havia comunicação constante entre eles?), mas como Waverly já tem 15 anos, é algo que aconteceu há algum tempo. Ou talvez, será algo que será discutido depois.

Diagramação

Mais uma capa que fica entre as minhas favoritas. Adorei o efeito da capa, pois compreende todo o imaginário presente na trama.

Considerações Finais

Brilho é um livro que discute e dialoga sobre sobrevivência, religião, ciência, amizade e liderança. Por de trás de Brilho, iremos encontrar uma gama de discussões interessantes e que dificilmente encontramos em um livro só. Mal posso esperar pela continuação. Com certeza, é um dos primeiros livros de trilogia que mais me encantou.

O tempo que “demorei”, foi o suficiente pra saber que é uma história que pra mim vai durar um bom tempo na minha cabeça. Pois foi tudo tão positivo e bem feito, que levarei comigo.