Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581633657
Ano: 2014
Páginas: 288
Tradutor: Edson Rochedo

Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber de verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que vocêaprecia a preocupação delas, de que a vida continua. Em segredo, elas se perguntam quando a obrigação de perguntar terminará (depois de três meses, por sinal. Escrito ou não escrito, é esse o tempo que as pessoas levam para esquecer algo que você jamais esquecerá). As pessoas não querem saber que você jamais comerá bolo de aniversário de novo porque não quer apagar o sabor mágico de cobertura nos lábios beijados por ele. Que você acorda todos os dias se perguntando por que você está viva e ele não. Que na primeira tarde de suas férias de verdade você se senta diante do mar, o rosto quente sob o sol, desejando que ele lhe dê um sinal de que está tudo bem.

proibido

Introdução

Eu sou mais uma daquelas pessoas que esperou a publicação desse livro por anos. Sim, eu já havia lido ele antes de ser lançado no Brasil. Motivo? Não aguentava mais esperar. Quando a Novo Conceito anunciou a data que ele chegaria as estantes, foi um alívio e um frescor da trama de Sarah, voltou a minha mente. Essa resenha será pautada na leitura que fiz em português, como todo mundo sabe, há algumas alterações ao longo da trama, nada que perca o sentido original, mas sofre algumas modificações, afinal a tradução tem adaptações. Não é literal.

Vinte Garotos no Verão, tem Anna como protagonista, uma garota inteligente, crítica e que vai amadurecendo entre a trama. Ela tragicamente perde aquele garoto que mais amou. O livro de maneira leve, discorre sobre essa perda e os efeitos em que a morte causa na vida dela. Eh um livro sobre luto, mas ao mesmo tempo, sobre esperança e amor.

Narrativa

A narrativa de Sarah é fantástica:

1) Pode ser um YA, muitos esperam que seja um livro que lida com tudo de modo bobo e imaturo. Isso não acontece.

2) Que ela consegue ter um livro que tem a narrativa fluida sem que se torne chato. A necessidade de virar as páginas é imensa.

Anna é uma personagem e tanto, embora seja comum e nenhum pouco chata. Motivo? Ela é bem humorada e tenta lidar com tudo da melhor forma, mesmo que a saudade seja constante.

Frankie é a melhor amiga desde a infância de Anna, também era a irmã de Matt.

Anna sempre foi apaixonada por Matt, mas os três eram tão próximos que ela nunca teve coragem de contar pra ninguém. Pouco tempo antes, no aniversário de Anna, eles finalmente ficam juntos, onde Anna percebe o quanto estava certa de seus sentimentos e viveu o que há de melhor com ele, mesmo tendo de prometer que isso ficaria em segredo.

Matt como na própria sinopse do livro diz, não sobrevive a um acidente de carro. Um ano depois, a família de Frankie chama Anna para uma viagem para Califórnia no verão. Frankie convence Anna a um projeto de verão que consiste em conhecer pelo menos vinte garotos para que Anna possa perder a virgindade.

Se o projeto dará certo ou não, eu vou deixar para que vocês descubram. Mas quero que fique claro, que o projeto não chega nem perto do que o livro oferece.

Diagramação

Felizmente, a Novo Conceito manteve a capa desse romance. Eu acho ela bastante significativa e emblemática. O livro possui uma diagramação agradável e a cada novo capítulo temos a imagem de um coqueiro (representação do verão na Califórnia). 

Considerações Finais

Vinte Garotos no Verão, pode ser considerado um livro extremamente reflexivo. Parece ser um livro bobo e adolescente, mas que no fim você encontra muito mais do que isso. Personagens intrigantes e reações adversas. Dão a Sarah, um misto de admiração e um voto de confiança de que seus livros brilhem tanto quanto esse. Bittersweet é outro livro da mesma autora que tem feito muito sucesso e que torço que seja publicado o quanto antes em português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*