Edição: 1
Editora: Valentina
ISBN: 9788565859066
Ano: 2013
Páginas: 308
Tradutor: Pedro Jorgensen Junior

Ele achava que o cão era imortal. Assim começa a vasta, poderosa e comovente narrativa de Susan Orlean sobre a jornada de Rin Tin Tin – de sobrevivente órfão a astro do cinema e ícone internacional do showbiz. Suzan, redatora da New Yorker chamada de “patrimônio nacional” pelo Washington Post, passou cerca de dez anos pesquisando e escrevendo sua mais cativante obra: a história de um cão que nasceu em 1918 e nunca morreu. A narrativa começa num campo de batalha francês da Primeira Guerra Mundial, quando Lee Duncan, um jovem soldado americano, descobre um sobrevivente: um pastor-alemão recém-nascido nas ruínas de um canil bombardeado. Durante os dez anos seguintes, Rinty estrelou 23 sucessos do cinema mudo que salvaram o estúdio da falência e fizeram dele o cão mais famoso de todos os tempos. No auge da popularidade, Rin Tin Tin foi o campeão de bilheteria de Hollywood. Rico de humor e emoção, repleto de momentos que certamente levarão o leitor às lágrimas, Rin Tin Tin fez parte da prestigiadíssima lista dos 100 MELHORES LIVROS DO ANO do New York Times, principalmente por ser uma mescla irresistível de história, humanismo e maestria narrativa – esplêndida celebração de um grande ícone universal por uma das mais talentosas escritoras da atualidade.

proibido

Introdução

Desde o lançamento desse livro, sempre fiquei muito curiosa. Pra quem não sabe, eu adoro cães e livros que tem como “personagem” cães, eu fico sinceramente maluca para conhecer.

Em Rin Tin Tin, temos a historia de Lee, um jovem que é recrutado para a Primeira Guerra aonde encontra uma ninhada de pastores alemães em escombros. Segundo Lee Duncan, sua vida só começou quando encontrou Rin Tin Tin.

Com o fim da guerra, Lee ingressa Rin Tin Tin  nos filmes. O cão se demonstrou muito habilidoso e logo ganhou fama. A vida de Lee é narrada com altos e baixos, embora fale sobre cães, o livro centra muito em seu dono. E as várias substituições de seu primeiro cão.

Narrativa

Susan teve um extenso trabalho com pesquisas para chegar a esse livro. Não só a história de Lee e Rin Tin Tin, como a origem da raça Pastor Alemão. Eu como cineasta, adorei saber mais sobre o adestramento de cães para filmes, um pouco da história do cinema na época e um monte de informações mais difíceis de aceitar que são colocadas ao leitor durante o livro.

O que me incomodou de fato, foi como Lee lidou com a perda do primeiro Rin Tin Tin,  após a morte do primeiro, Lee teve outros cachorros e sempre achava que o melhor era o que ele tinha. A sensação que dá é que ele não tinha muito apego emocional, mas ao mesmo tempo vemos que se preocupava e de um jeito muito estranho, amava os cachorros. Embora eles lhe dessem uma renda.

Diagramação

A editora sempre foi caprichosa em seus livros. Em Rin Tin Tin isso não é diferente. Uma capa bem bonita e chamativa.

Considerações Finais

O livro possui uma história que vai além do inicialmente proposto. ´E um livro que dá ao leitor muito mais informações do que pretendia. Gosto de livros mais instrutivos do que histórias em si. Se busca somente uma boa história, se surpreenderá com o “plus” que existe nesse livro.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*