Cinderela Pop

ISBN-13: 9788501103581
ISBN-10: 8501103586
Ano: 2015 / Páginas: 160
Idioma: português
Editora: Galera Record

Nesta versão estendida do super conto de Paula Pimenta no Livro das Princesas, Cinderela é reinventada. Cintia é uma princesa dos dias atuais: antenada, com opiniões próprias, decidida e adora música! Mas a garota vê seu cotidiano virar de cabeça para baixo depois da separação dos pais: vai morar com a tia, se afasta do pai e, principalmente, deixa de acreditar no amor. Até que um encontro inesperado e revelador a faz rever as próprias escolhas – havia mesmo um belo príncipe em sua história, e tudo que ele mais queria era descongelar o coração da nossa gata (nada) borralheira!

Introdução

Paula Pimenta é um fenômeno literário, sem dúvidas, ela fisgou uma legião de fãs, tudo isso é prova dos eventos e bienais em que está presente.

Fui conhecendo o trabalho dela aos pouquinhos, comecei lendo O Livro das Princesas, onde justamente, Cíntia é a protagonista do conto. Esse livro, que resenharei hoje pra vocês, funciona como uma versão estendida do conto. Ou seja, o conto deu origem a essa obra. E como já publiquei, esse livro faz parte da série de Princesas Modernas, que começa com Princesa Adormecida.

Em Cinderela Pop, Cíntia (DJ Cinderela), que vive uma realidade bastante comum: os seus pais vão se divorciar. Com isso, é claro que há um trauma e como sua mãe é uma arqueóloga bem requisitada, ela mais viaja do que fica em casa, Cíntia vai morar com sua tia. Lá ela aprende com o namorado da tia, como se tornar uma DJ. E aos poucos vemos como ela vai se tornando famosa até que um belo dia… ela é convidada para tocar uma festa, porém, é uma festa de aniversário de 15 anos das filhas do seu pai. Com o qual praticamente não suporta.

Sobre Paula Pimenta

Paula Pimenta é uma escritora brasileira, conhecida principalmente por sua série de livros Fazendo meu filme. Iniciou o curso de Jornalismo mas formou-se em Publicidade pela PUC. Em seguida, foi morar em Londres, onde estudou escrita criativa. De volta ao Brasil, trabalhou em marketing e escreveu poemas,e depois suas crônicas .Seu primeiro livro, a coletânea de poemas Confissão, foi lançado em 2001, com edição bancada pelo seu pai . Mas o sucesso veio apenas em 2008, quando a divulgação boca-a-boca entre os fãs transformou o romance adolescente Fazendo meu filme num best-seller.

Sitefacebooktwitter

Narrativa / Personagens

A escrita de Paula Pimenta não enjoa, mas por se tratar de uma versão estendida de um conto, senti que ela poderia ter aproveitado mais e explorado o psicológico dos personagens. O que não aconteceu. Desde o conto, gostei muito da Cíntia, mas esperava uma evolução muito maior. É fácil notar as semelhanças entre esse livro e o A Playlist da Minha Vida, no qual uma menina que era bem deslocada na escola, vira uma dj de sucesso, numa boate “secreta”. Claramente o público alvo não é o meu, tenho certeza que muitas garotas irão se identificar com a personagem, pois passam por situações similares e tudo mais. O que torna a narrativa tão imprescindível? infelizmente, nada. A leitura flui bem. Mas no final, não tem nenhum questionamento, um aprendizado, um setlist divertido pra conferir… fiquei com expectativas já que é um livro tão bem cotado na maioria dos blogs. Infelizmente, pra mim, não funcionou.

Diagramação / Capa

O ponto alto do livro foi a capa e a diagramação proposta pela editora. A harmonia com o primeiro livro é muito agradável. A leitura estava bem confortável, não encontrei problemas ao ler, pelo contrário, fluiu muito bem.

Considerações Finais

Paula tem público fiel. Mas acredito que tem muito mais oferecer do que realmente fez com o livro. Espero uma evolução positiva para a autora. Tive a oportunidade de ler todos os seus livros e minha percepção é que o melhor livro dela foi o primeiro que escreveu. Surpreenda o leitor, falta um pouco de “ousadia” pros autores no geral, não falo só dos nacionais, mas os internacionais também.

comentários

  1. bem esse livro de princesas nao é bem o meu genero favorito, mas a resenha ta bem legal e me deixou curiosa, e fiquei interessada mais ainda pelo fato de nao ser um livro “perfeitinho” e por tratar as com as mais realidade.

  2. Amy!
    Não li nada da autora ainda, acredita?
    Gosto das releituras dos contos de fadas e gostaria de apreciar a escrita e as ideias da autora.
    A capa é belíssima!
    “A amizade duplica as alegrias e divide as tristezas.”(Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy

    Participe no nosso Top Comentarista!

  3. ainda não li nada da Paula Pimenta, um dos motivos é que eu tb vejo que eu não faço parte do público alvo.
    esse livro desde que eu li o resumo a primeira vez a minha reação foi: “já vi isso antes” e acabou não dando vontade para eu ler e essa questão da expectativa as vezes é um problema, como nesse caso, vc ver notas tão boas que qd vai ler a frustração é ainda maior. pelo menos agora se eu for ler eu não espero novidades
    bjs

  4. Sempre leio resenhas positivas em relação aos livros da Paula Pimenta. E, pude conferir todo esse estardalhaço em uma tarde de autógrafos dela. As fãs estavam ensandecidas na Livraria. O que acho uma pena é que tenha faltado essa pitada de ousadia que a gente sempre espera de uma adaptação. Mas o bom é que não é de todo ruim. Acho que é uma boa pra quando quisermos um livro leve e despretensioso.

    @_Dom_Dom

  5. Uma pena que o livro não tenha funcionado para você. Ainda não li nada dela, mas já sei que tem uma legião de fãs que são loucos por ela e pelos livros. Realmente espera-se ousadia quando se trata de algo inspirado em uma história que já conhecemos. Não tirou a minha vontade de ler, mas sei que não farei isso por enquanto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*