Gears of War 4

Gears of War 4

Aproveitando que estamos próximos do lançando de Gears 5, resolvi fazer uma breve review do seu antecessor e ao mesmo tempo relembrar dos fatos acontecidos, pois até onde temos informação, Gears 5 será uma sequência direta dos eventos do seu antecessor.

Gears of War 4 é um jogo com a visão em terceira pessoa de gênero tiro com elementos de ficção cientifica, desenvolvido pela The Coalition e publicado pela Microsoft, lançado em outubro de 2016.

Tudo se passa 25 anos após a conclusão de Gears of War 3, os humanos migraram para um planeta chamado Sera, guerras foram constantemente travadas, matando milhões de pessoas e por consequência prejudicando o novo planeta.

Havia duas super potencias no planeta, a coalisão dos governos ordenados ( CGO ), um grupo socialista que pregava a ordem, pureza, honra, lealdade, fé e humanidade, seu símbolo é uma engrenagem que representa pequenas peças de um grande motor que juntas fazem tudo funcionar que é de onde veio o símbolo e o nome do jogo e a outra é a união das republicas independentes ( URI ), as duas foram as protagonistas dessa guerra e após 79 anos a CGO conseguiu sua vitória e um tratado de paz foi implantado e por seis semanas ela começou a implantar sua política e iniciar os planos de reconstrução até que os humanos perceberam que não estavam só, uma raça conhecida como Locusts viviam nas profundezas, foram a superfície e em um dia quase erradicaram a humanidade por completo, matando 90% da população, este dia ficou conhecido como o dia E, então surgiu um novo herói chamado Marcus Fenix e as suas missões suicidas ditaram as jornadas da trilogia inicial.

Inicialmente nos deparamos com uma reportagem onde o planeta comemorava a vitória sobre os locusts porem ao mesmo que tempo que tinha comemoração, tinha lamentação pelos soldados perdidos em batalhas e então assumimos soldados anônimos em três conflitos diferentes, liderados por outros personagens do jogo, funcionando como um tipo de prologo.

Um grupo de rebeldes, liderados por JD Fenix, busca soluções para extrair energia em seu vilarejo. Isso provoca a ira da soberana, que inicia uma guerra particular contra o grupo e seus aliados. Isso é apenas uma desculpa para que uma trama maior comece a se desenvolver, ao ponto de incluir Marcu Fenix, pai de JD, como um dos grandes protagonistas do título. 

O enredo se desenrola de uma maneira menos forçada que nos outros jogos da série. Há um interesse maior em entender todos os motivos que levam, tanto a revolta do jovem grupo, quanto o retorno de Marcus Fenix. E o mais interessante de tudo é que a todo momento o jogador é bombardeado com novidades e surpresas, principalmente para aqueles que jogaram os outros títulos da franquia. 

A jogabilidade de Gears of War 4 mantém o padrão da série. Se resume a basicamente atirar e se proteger usando plataformas, construções e paredes. Essas por sua vez agora não protegem totalmente o jogador. De acordo com o armamento de seu adversário, elas podem facilmente ser desintegradas, deixando o personagem exposto no combate. 

Outra novidade são as Tempestades de Fogo. Como o próprio nome diz, são ventanias que surgem ao longo do jogo alterando a jogabilidade e causando dano ao jogador durante o combate. Durante esses tornados, a trajetória de tiros e projéteis é alterada, necessitando de um cálculo mais preciso do jogador. Ela também faz com que objetos do cenário voem e causem danos. Isso cria um dinamismo que faz com que você tenha que se preocupar não somente com seus inimigos, mas com os estragos que a natureza pode causar. 

Visualmente, Gear of War 4 encanta como sempre. Logo no começo do jogo não é dificil estranhar a ambientação dos cenários, que agora são mais claros e nítidos que nas versões anteriores. O enredo também ajuda a apresentar ambientes mais construídos, como vilarejos, fábricas e mansões, ao contrário da destruição em todas as partes nos títulos anteriores. 

Seus personagens também evoluíram. Tanto os Locusts quanto os antigos personagens estão mais reais, mas sem perder suas características. E os efeitos de explosões, tempestades e pedaços de carne voando pelo cenário chamam atenção pelos ricos detalhes. 

Há um trabalho impecável nos efeitos sonoros, que deixam as explosões e cortes com a serra agoniantes e realistas. Mas as dublagens, mal colocadas e interpretadas, deixam a desejar e não conseguem passar o sentimento ou a emoção que a cena deveria expor. Embora o trabalho de localização da empresa mereça o seu reconhecimento, há inúmeros exemplos de um trabalho artístico melhor do que o realizado em Gears of War 4. 

Há uma série de novidades nos outros modos de Gears of War 4. O que merece mais destaque é a volta do modo Horda. Nele, você precisa sobreviver a até 50 ondas de inimigos, que crescem de dificuldade a cada nova rodada. É possível jogar o modo de forma padrão ou até mesmo em uma partida privada. 

O multiplayer tradicional ganhou os novos modos Dodgeball e Escalation. O primeiro consiste em uma partida 5 contra 5 onde o jogador que é eliminado precisa esperar um adversário ser abatido para voltar a partida. Vence aquele que elimina todos os oponentes do jogo antes que alguém retorne. 

Conclusão

Gears of War 4 mostrou porque foi um dos títulos mais esperados da época. Com a tradicional jogabilidade, aliada a belos gráficos e um enredo que entretém o jogador, os novos modos de jogo e a volta do Horda agradam sua legião de fãs e amantes do gênero. 

O jogo está disponível para Xbox One e PC, lembrando que está disponível também no Game Pass (sistema de aluguel de jogos onde se paga um valor e se tem 100 jogos disponíveis), assim como todos os jogos da franquia.

Filipe Bastos – Gamertag: DanteRJ

você também pode gostar

deixe seu comentário