Shadow of the Tomb Raider

Shadow of the Tomb Raider

Shadow of The Tomb Raider, se trata de um game single player em terceira pessoa de gênero ação e aventura com elementos de plataforma e RPG, desenvolvido pela Edios Montreal e publicado pela Square Enix, lançado em setembro de 2018.

A trama se inicia com o avião de Lara Croft dando pane em meio a uma tempestade, acompanhada de seu fiel amigo Janah Maiva que tem sido seu braço direito desde o reboot de 2013, a aeronave se parte em dois pedaços fazendo que a dupla se separe assim o jogo volta dois dias antes se passando no México onde vemos Lara explorando uma caverna, a partir desse momento, vemos que a trindade continua sendo nosso principal inimigo, uma organização secreta e antiga que existe desde antes de cristo, um grupo determinado e encontrar todos os artefatos antigos e Lara acabou descobrindo que seu pai foi morto por esta organização, motivando a protagonista a segui-los com o intuito de entender o que de fato aconteceu e obter a sua vingança e assim o jogo começa.

Desde o primeiro jogo, a personalidade dessa nova Lara vem sendo moldada, a Lara clássica é como se fosse o 007, muito habilidosa, culta, sexy, intocável e fria já a nova Lara é insegura, ingênua, até tinha algum treinamento, era inteligente, habilidosa, porem caiu repentinamente em uma situação de vida ou morte onde a mesma sofreu demais, teve que se adaptar a diversas situações e conseguiu sobreviver.

Na sua sequencia chamada Rise Of the Tomb Raider, já temos uma Lara diferente, mais determinada com seus objetivos e neste jogo em si Lara volta a cometer erros, devido e estar tão obcecada pela vingança, começa a não se importar muito com as consequências de seus atos.

Absolutamente tudo está mais imersivo, consequentemente, mais bonito também: o salto gráfico de Shadow of the Tomb Raider é gritante, cabe um reforço no HDR: trata-se do melhor uso do recurso que vi na atual geração de consoles até agora. O game oferece as duas tradicionais opções de experiência: uma focada no visual, com boost de resolução ao 4K, e outra concentrada em performance, capaz de executar a aventura em 1080p e 60fps. No Xbox One X, por exemplo, Shadow of the Tomb Raider se propõe a rodar em 4K nativo.

Shadow of the Tomb Raider optou por um caminho que, muito possivelmente, será capaz de agradar a gregos e troianos: removeu aqueles desafios online pentelhos, não tem qualquer rastro de multiplayer do reboot de 2013 – como não deve ter mesmo – e distribuiu os objetivos da maneira mais consistente possível.

Isso significa que Lara se alterna entre os momentos de ação, exploração, resolução de puzzles, escaladas e outros trechos acrobáticos de forma exemplarmente bem espaçada, jamais permitindo que você se entregue ao sono, ao tédio ou coisa do tipo.

Shadow of the Tomb Raider é um pacote poderoso de uma tomada só, é um tiro do começo ao fim, uma emoção engatada em cada ação, uma bola de neve que só cresce, uma porrada atrás da outra em meio a uma beleza natural. Há muito mais momentos cinematográficos do que em qualquer outro Tomb Raider .

Também existem muros cobertos de lama, assim como os arbustos espalhados pelos cenários, que favorecem o stealth – favorecem, jamais forçam. Lara Croft pode ser John Rambo quando quiser. Uma das novidades mais legais, por exemplo, é a Garra da Águia, que permite que Lara elimine inimigos de cima de uma árvore ao amarrá-los com uma corda e pendurá-los como se fossem espantalhos que assustam o rebanho.

Criptas, tumbas, missões secundárias, colecionáveis, desafios opcionais e outras tarefas compõem uma orquestra de atividades adicionais na aventura, que resguarda suas boas 15 horas a quem seguir em linha reta, com pequenos desvios da rota principal, e cerca de 30 a 40 horas estimadas a quem busca os 100% do mapa, três vezes maior que o de Rise of the Tomb Raider. 

As melhorias que Lara acumula ao longo da aventura também incluem mais talentos na caça de animais e no instinto de sobrevivência, mecânica tão bem aplicada desde o Tomb Raider de 2013.

Conclusão

Não é spoiler algum dizer que Shadow of the Tomb Raider representa a transição da Lara Croft “aprendiz”, a pupila de seu próprio legado, para a versão clássica, a exploradora que conhecemos em 1996. A Eidos já havia dito que seria assim: uma Lara durona, que mata sem rodeios, que derrama sangue sem medir as consequências – ela não precisa medir nada porque só mata os que são verdadeiramente inescrupulosos.

Se havia dúvida sobre como era possível ir muito além de Rise of the Tomb Raider, que já representou um salto enorme em relação a Tomb Raider, a Eidos Montreal fez o impossível para responder à altura e tentar urrar, em alto e bom som, Shadow of the Tomb Raider é, definitivamente, a melhor aventura de Lara Croft.

O game está disponível para XBOX ONE, PS4, PC e também está disponível na loja de aluguel de jogos da Microsoft, o GamePass.

Filipe Bastos – Gamertag: DanteRJ

você também pode gostar

deixe seu comentário