Belas Adormecidas
ISBN-13: 9788556510518
ISBN-10: 8556510515
Ano: 2017 / Páginas: 728
Idioma: português
Editora: Suma


Introdução

Desde o lançamento desse livro, fiquei bem curiosa. O primeiro livro que leio com Owen e Stephen, até então, não conhecia Owen como escritor. Foi uma surpresa muito bacana ver pai e filho trabalhando juntos em uma obra que me deixou bastante intrigada. A ideia da trama surgiu pela parte de Owen: e se as mulheres não acordassem mais?

Em Belas Adormecidas, todas as mulheres do mundo não acordam. Todas as mulheres de todas as idades, acormecem e tem o rosto coberto por teias até que elas se fechem em um casulo. Homens tem de ter muita coragem para violar a proteção, pois elas se tornam armas hostis e mortais, uma raiva inexplicável. A trama vai ocorrer no Maine, mais precisamente em Dooling, onde a xerife Lila Norcross, que após uma noite nada fácil, só quer dormir mas fica acordada e encontra Evie Black, uma assassina que é sentenciada a prisão e vai para onde o marido de Lila trabalha como psiquiatra. O que torna tudo ainda mais interessante é que Evie é a única que dorme e não acorda sem poderes. Quanto mais mulheres adormecem os seus maridos ficam intrigados e buscam respostas. A informação sobre Evie vaza e são bastante cobrados por respostas. Enquanto isso, Frank Geary, um dos responsáveis pelo controle de animais da cidade, invade a prisão para obter respostas do que está acontecendo na cidade.

Sobre Stephen e Owen King

Resultado de imagem para stephen e owen king

Stephen King era um leitor fanático dos quadrinhos EC’s horror comics incluindo Tales from the crypt, que estimulou seu amor pelo terror. De 1966 a 1971, Stephen estudou Inglês na Universidade do Maine em Orono, onde ele escrevia uma coluna intitulada “King’s Garbage Truck” para o jornal estudantil, o Maine Campus. Ele conheceu Tabitha Spruce lá e se casaram em 1971. O período que passou no campus influenciou muito em suas histórias, e os trabalhos que ele aceitava para poder pagar pelos seus estudos inspiraram histórias como “The Mangler” e o romance “Roadwork” (como Richard Bachman).

Owen nasceu em 1977 em Maine, filho de Tabitha e Stephen King. Ele tem dois irmãos mais velhos, Naomi King e Joseph Hillstrom King (Joe Hill). Ele foi criado em Bangor, no Maine, mostrando interesse em escrever durante o ensino médio. King frequentou o Vassar College e a Columbia University, onde obteve um mestrado em Belas Artes. King publicou seu primeiro livro, We All All This Together, uma coleção de três histórias curtas e uma novela em 2005 através da Bloomsbury USA.  O romance de estréia de King, Double Feature, foi publicado em 2013 pela Scribner. Owen é casado com a escritora Kelly Braffet.

Edições estrangeiras

30622162 36298070

Narrativa

Um romance escrito à quatro mãos, em entrevistas Owen e King falaram muito sobre o processo de escrita no qual um escrevia parte e o outro complementava, de 25 e em 25 páginas, lemos 728. Um ponto interessante e muito importante foi que a tradutora oficial de Stephen King no Brasil, foi mantida. Para os conhecedores de King, ainda verão muito dele durante as páginas em algumas cenas em outras, nem tanto. Sendo assim, fica bem claro que levaram o projeto muito a sério e tornaram uma experiência bem interessante. Os temas abordados na narrativa são bem difundidos e profundos, em pouco tempo fui entregue a narrativa e o que ela promovia durante as páginas. Ler um livro de mais de 500 páginas é complexo, são inúmeros personagens e é preciso uma atenção extra aos detalhes. Não sei se já contei em alguma resenha, mas mantenho cadernos com descrição dos personagens e características, sendo mais fácil acompanhar o desenvolvimento de cada um na obra.

Projeto gráfico

Gostei bastante do projeto gráfico do livro, a capa é bastante condizente e manteve a identidade que estamos acostumados com as obras do King.

Considerações finais

Belas Adormecidas, é um livro único. Me encantei pela forma como o leitor é encantado pelos acontecimentos. Falar de assuntos polêmicos nem sempre é fácil e eles conseguiram fazer com maestria. Livros escritos a quatro mãos nem sempre dão certo, muitas vezes me incomodam pelo fato de não serem tão homogêneos e de fácil dispersão, o que não ocorreu. Está longe de ser o melhor trabalho, mas promoveu bons momentos para uma leitora ávida pelos livros do King. Espero poder ver Owen escrevendo sozinho, fiquei interessada pela sua escrita. #SumaPubliquemoOwenKing.