Contos peculiares

ISBN-13: 9788551000533
ISBN-10: 8551000535
Ano: 2016 / Páginas: 208
Idioma: português
Editora: Intrínseca


Introdução

Ler Ransom Riggs, sempre evoca os meus melhores sentimentos. Além do cuidado que a editora Intrínseca tem tido com o autor, é ler sobre os peculiares que acabaram fazendo parte das melhores leituras que fiz durante o ano.

Contos Peculiares  é o spin-off da trilogia do “Lar da Srta. Peregrine para crianças peculiares”, são dez contos sobre peculiares e feitos para peculiares. Contos densos, ousados e cheio de mistérios.

Sobre Ransom RiggsFoto -Ransom Riggs

Ransom Riggs cresceu na Flórida, mas agora reside na terra das crianças peculiares, Los Angeles. Ao longo da vida, formou-se no Kenyon College e na Escola de Cinema e TV da Universidade do Sul da Califórnia, além de fazer alguns curtas-metragens premiados. Nas horas vagas é blogueiro e repórter especializado em viagens, e sua série de ensaios de viagem, Strange Geographies, pode ser lida em ransomriggs.com.

Narrativa

O ritmo da narrativa é bastante diferente da trilogia, porém, Riggs consegue fazer algo totalmente novo, com uma fórmula antiga, muito semelhante as Fábulas de Esopo.

O meu conto favorito, sem dúvida foi A Primeira Ymbryne, que fala abertamente sobre os valores da família. É um dos contos mais tristes, mas possue uma carga muito curiosa. Resumindo, é um dos contos mais longos do livroe mostra como essa primeira Ymbryne conseguiu a habilidade de cuidar dos peculiares nas fendas temporais, sendo assim, transformando o mundo peculiar.

A forma como Riggs criou seus personagens, as descrições e as premissas em si, são fantásticas.

Projeto gráfico

Mais um livro maravilhoso e em capa dura da Intrínseca. A editora tem apostado forte no autor e trouxe aos fãs outra edição de luxo digna do autor.

Considerações finais

Contos Peculiares, é um presente aos fãs da série, um convite aos que ainda não se aventuraram e todos que ficaram curiosos pela escrita de Riggs. Lerei esse por várias vezes, sempre que sentir saudades… Riggs, continue escrevendo coisas lindas a!