127 Horas – Aron Ralston 

Edição: 1
EditoraSeoman
ISBN: 9788598903255
Ano: 2011
Páginas: 400
Comprar: R$31,90

É uma extraordinária história de sobrevivência – o doloroso relato de Aron Ralston, que passou seis dias preso em um dos lugares mais remotos dos Estados Unidos, e como um ato repleto de coragem o trouxe de volta para casa. Tudo começou com uma caminhada pelo Parque Nacional de Canyonlands, em Utah, na tarde de um sábado quente. Para Aron, um experiente alpinista de vinte e sete anos, um passeio pelo remoto cânion Blue John era uma oportunidade de dar um tempo das escaladas invernais nos difíceis e altos picos do Colorado. Apesar de ter conhecido duas charmosas garotas ao longo do caminho, no começo da tarde já estava sozinho, apenas com a beleza natural do lugar ao seu redor. Às 14h41, ele estava a treze quilômetros de onde havia estacionado, em uma fenda profunda e estreita do cânion, quando desalojou uma rocha de quase meia tonelada que caiu sobre a sua mão direita e o pulso. E, a partir daí, começaram os seis dias mais infernais da vida de Aron. Com pouca água e comida, sem uma jaqueta para enfrentar as noites geladas, ele lembrou que não havia avisado ninguém para onde estava indo, e essa demora em se soltar poderia ser fatal, já que poderia morrer desidratado ou afogado em uma inundação – ele estava 30 metros abaixo do nível do solo. Usando sua câmera de vídeo, Aron começou a gravar mensagens de despedida para sua família e amigos, agradecendo a vida cheia de aventuras, esperando que alguém achasse essa gravação com seus últimos dias de vida. Mas na manhã de quinta-feira ele teve uma inspiração divina que poderia resolver o “enigma” da rocha, um extremo e desesperado ato de bravura que salvaria a sua vida. 127 Horas é um inspirado relato escrito de forma brilhante, engraçada e honesta, de como a morte encontra a vida. Uma história que estará para sempre entre os livros clássicos de aventura.

proibido

Introdução

É uma visão diferente das resenhas anteriores, até bem diferente do que muitos leitores aqui estão acostumados. Eu quis ler o livro em função do filme que havia visto já tem um tempinho. O filme me chocou e me motivou a ler essa história. A história de alguém que sobreviveu a uma situação limítrofe e ficou de cara com a morte. Ele faz reflexões muito interessantes e tem uma atitude que poderia ter sido feita, mas como ele mesmo diz no livro, não estava pronto.

Narrativa

É bem extensa e bem criativa, pois cita muitos livros e lugares maravilhosos para conhecer. Alguns termos técnicos também são apresentados e até medidas são colocadas. O que torna uma boa narrativa para quem entende do assunto. Porém quem não entende, há um glossário no final do livro que explica cada um dos termos. Existem algumas fotos no livro que também são bem bonitas e a foto do resgate e da rocha com a mão de Aron. Uma experiência bem bacana é enquanto ler o livro, pesquisar fotos dos lugares que cita. Existem alguns que são incríveis e que realmente dão vontade de se visitar algum dia. É uma narrativa que denota o amor de Aron pelo assunto e quando lemos algo feito com amor e conhecimento. Com a vontade de passar o máximo de detalhes possíveis é impossível não se sentir motivado a ir atrás.

Momento Macchiato

“Logo depois das 8h, ouço um ruído apressado filtrando-se através do cânion acima de mim, um sopro de vendo que pulsa três vezes. Olho pra cima quando um grande corvo negro voa sobre a minha cabeça. Ele está seguindo para o começo do cânion, e a cada bater de asas, o eco filtra-se até os meus ouvidos. Na terceira batida de asas, ele grita alto: “Ca-cau”, e então desaparece da minha janela do mundo superior.” – pág 93.

Filme

A proximidade com o livro é bem impressionante, apenas alguns flashs do passado e de outras aventuras – algumas engraçadas como a do urso e outras um pouco complicadas como quase morreu na água – e a reação dos pais e amigos não é apresentada no mesmo. Foi um risco, mas isso intensificou o espectador para a situação atual de Aron. Tanto o livro como o filme nos leva para aquela fenda. Somos cúmplices do que acontece com Aron. Estamos presos por uma rocha. E quando ele pega a câmera para registrar seus pensamentos e registrar a sua situação só intensifica essa ideia.Quem ainda não viu o filme, assista. James Franco é um excelente ator e transforma esse filme em uma obra prima, lógico que existem muitas pessoas por trás do filme, mas a atuação passa uma verdade a mais para quem assiste e a cena da amputação é tão real que comove qualquer ser vivo.

Considerações Finais

É um livro muito interessante pra quem gosta de aventuras, esportes radicais e livros que superem a escrita. Que lhe deem reflexões para o cotidiano e que te proporcione uma história de superação que nem sempre estamos prontos pra encarar, na verdade, ninguém está pronto. Sempre achamos que não iremos sofrer nada, que aquelas notícias absurdas na tv, não irão acontecer conosco. Mas a verdade é que elas acontecem e existe vida após trauma. Porém é preciso coragem e assumir qualquer coisa que tenha acontecido, por mais drástica que seja, a vontade de viver e ser feliz prevalece.