A autobiografia de um Rolling Stone – Ron Wood

Edição: 1
Editora: Évora
ISBN: 9788563993519
Ano: 2012
Páginas: 382

Pela primeira vez, um membro da mais famosa banda de rock’n’roll do mundo conta sua história – e a do Rolling Stones. Bruto, imundo, desagradável e fascinante. Uma jornada incrível. O primeiro de sua família a nascer em terra firme, Ronnie Wood veio de uma linhagem de ciganos e foi criado em um apartamento próximo ao Aeroporto de Heathrow. Cresceu com dois desejos: pintar e tocar. E Wood sempre teve talento para essas duas atividades. Em 1930, ele estava tanto no local certo quanto na hora exata – tornou-se o guitarrista do The Birds, encontrou-se com Jeff Beck, uniu-se ao The Faces até esbarrar em Rod Stewart. Mas Wood e sua guitarra tornaram-se referências quando entraram para os Rolling Stones. Este livro é um retrato fascinante não apenas dos Stones, como também dos maiores roqueiros dos anos 1960, e mais: de Eric Clapton a Rod Stewart, de Jimmy Page a Keith Moon, de Jimi Hendrix a Pete Townshend. Um livro rico e revelador. Um passeio surpreendente pelo mundo do rock.

proibido

Introdução

Quem me conhece sabe o quanto eu adoro biografias. Principalmente aquelas escritas pela pessoa. Ron Wood sempre foi um dos meu ídolos. Quando vi o lançamento da Generale, praticamente surtei.

Ron Wood a autobiografia de um Rolling Stone vai abordar a vida de Ron de sua infância até o agora. Começa com sua infância, sua família e o amor de Ron pela mãe, suas primeiras experiências com a música e bandas, empregos um tanto quanto curiosos, sexo, seu relacionamento com Jo, quando é chamado pra tocar no Rolling Stones, bastidores, nascimento de Jesse James (primogênito). Resumindo, é um livro completo. E como o próprio diz, por enquanto é isso. Ron deixa claro que tem vontade de um segundo livro, porém, uma ficção.

Narrativa

Como todas as biografias, segue uma cronologia. O mais bacana da de Ron é que não é so focada nele. Ou seja, ele fala sobre a época, músicos e musicas, os lugares em que viveu, situações pelo qual passou.

Passei a admirar ainda mais Ron. Pela sua força de vontade em abandonar as drogas e viver do que move ele, ou seja, a música. Ele passou por diversos problemas financeiros e mesmo assim seguiu em frente. Rock in Rio é uma lembrança bastante citada por Ron. Com certeza passou grandes momentos por aqui.

Quem disse que roqueiro não se apaixona e é de uma mulher só? Ron e Jo fazem um casal tão lindo e puro quanto John e Yoko. Até a morte do próprio John é citada por Ron. Definitivamente foi um abalo pra qualquer um que goste de música.

O livro não é restrito a música, acabei conhecendo outro lado do músico. Algum dia imaginou que Ron Wood tem uma floresta e tem uma parceria na qual planta árvores que ajudam a absorver dióxido de carbono e proteger o clima?

Além disso, o livro conta com várias ilustrações feita pelo mesmo. Além de bom guitarrista é um ótimo ilustrador e faz exposições pelo mundo, confesso ter ficado curiosa.

Diagramação

A Genarale caprichou na edição. Está impecável. Capa incrível, diagramação do texto bastante confortável. Não é difícil devorá-lo.

Quote favorito

Até hoje, esse livro foi o que mais marquei passagens. Ron tem muitos bons momentos a serem citados.

“Eu não me importava com o lado comercial, apenas com os rapazes que estavam experimentando um grande momento. Ainda hoje sou assim. A música vem em primeiro lugar.” – 202

“Nada mudou depois que nos casamos. Apenas endossamos o nosso relacionamento. Antes, a gente não se importava de não estar amarrado. Sempre foi uma coisa bacana entre a gente. Era só namoro, com os filhos correndo ao nosso redor. Muitas vezes, eu me sinto assim com Jo, como eram os primeiros dias de nosso relacionamento. Na verdade, eu ficava pedindo para ela se casar comigo. Anos depois, eu continuo a fazer o mesmo pedido. Será assim para sempre. – 251

Considerações Finais

Para os adeptos de biografias, que adoram rock é uma mistura perfeita. Para quem quiser se aventurar de primeira viagem, também uma boa pedida. Ron tem muito a contar.