A Corte do Ar

Edição: 1
Editora: Saída de Emergência Brasil
ISBN: 9788567296043
Ano: 2013
Páginas: 544
Tradutor: Alberto Simões

Nesse aventura repleta de drama e ação, Molly carrega em seu sangue um segredo que a torna alvo de inimigos do Estado. Já Oliver é acusado de assassinato e precisa fugir para salvar sua vida. Logo, os dois se juntam para lutar contra um antigo poder que parecia derrotado havia milênios.

proibido

Introdução

A Corte do Ar é o primeiro volume da série intitulada Jackelian, escrita pelo autor Stephen Hunt e publicado no Brasil pela Editora Saída de Emergência.

o livro é do subgênero da Ficção Científica, ou seja um steampunk.

Em A Corte do Ar, temos Molly Templar como protagonista, é uma orfã que é obrigada a seguir ordens e fazer suas tarefas em um orfanato. Não pode fazer nada que não seja sua obrigação. Quando ela consegue um emprego num bordel, ela testemunha um assassinato em sua primeira noite. E quando volta ao orfanato descobre que seus amigos foram assassinados também. Aos poucos a garota irá descobrir coisas que ela nem sonhava. Oliver Brooks é um fugitivo (foi acusado de assassinar o tio). Sendo perseguido por todo país, Oliver precisa descobrir o mistério que ronda no assassinato do tio e na própria vida.

Essa é a premissa que permeia o livro. Intrigante? Eu diria que SIM. É o que me deixou profundamente curiosa. O livro consegue encantar desde a primeira impressão.

Narrativa

O livro leva o nome de uma organização secreta que mistura elementos de vários tipos de governo que resumindo ao máximo: vigia a situação de Chacalia (onde se passa a trama e somos levados para esse ambiente mais do que steampunk).

O autor é bem audacioso, a trama é cheia de seres diferenciados e há muitas mortes incutidas na trama (o autor definitivamente adora chacinas :P), são vários personagens alguns acrescentam mais e outros menos. É impossível inserir vários personagens e se prolongar e trabalhar todos da mesma forma. Os protagonistas, com certeza são mais desenvolvidos que os outros, mas a cada momento somos levados pra ambientes fantásticos. O que mais me agradou foi a inteligência do autor em proporcionar todos esse clima que só o steampunk consegue produzir. Adoro autores que usam glossário, é altamente recomendado quando se quer criar algo interessante e “novo”. O único “problema” de fato na narrativa, é que ela pode se tornar cansativa para quem não está acostumado a ler livros do gênero, o vocabulário é bem extenso e quem não está acostumado, pode se confundir ou se cansar. São vários cenários e situações acontecendo o tempo todo.

Diagramação

Uma das mais bonitas que já vi. A capa é incrível, a diagramação do livro está impencável. Somos levados pra outro mundo. Realmente, fiquei encantada.

Considerações Finais

A Corte do Ar é um exemplo de como um primeiro livro deve ser. Encantador, arrebatador e que deixa o leitor com vontade de quero mais. Em resumo, em A Corte do Ar vemos a problemática e o caos em que o livro acontece. Vários tipos de governo ousados são reflexo do que acontece na trama. Ou seja, loucura total!

Mal posso esperar pelo próximo volume. Com certeza, é um dos livros que mais me marcou em janeiro e que provavelmente vou comentar sobre ele no final do ano ♥

Próximos volumes:

Livro 2 – The Kingdom Beyond the Waves
Livro 3 – The Rise of the Iron Moon
Livro 4 – Secrets of the Fire Sea
Livro 5 – Jack Cloudie
Livro 6 – From the Deep of the Dark