A Maldição do Tigre – Colleen Houck 

A Maldição do Tigre

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580410266
Ano: 2011
Páginas: 352
Tradutor: Raquel Zampil
Melhor preço: R$ 16,06

Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele. O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço. Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.

proibido

Introdução

Havia visto bilhares de resenhas do livro e não passava pela minha cabeça o quanto o livro iria mexer comigo. Primeiro tenho lido vários livros que se passam na Índia, mas esse é talvez um dos mais criativos que passaram pela minha leitura. Colleen foi muito perspicaz e inteligente em abordar um tema antigo de modo tão atual. Portanto, só rasgarei elogios e mal vejo a hora de ler a continuação, espero algo muito melhor e muito mais instigante. O livro será lançado aqui no Brasil no dia 7 de maio e eu estou contanto os dias, sim leitores, estou contando os dias.

Narrativa

Colleen conseguiu me prender do primeiro capítulo ao último. Jamais imaginaria uma situação como ela descreve em seu livro. É de um ineditismo e de uma criatividade que vai além da imaginação de um ser humano normal. Kelsey é uma personagem muito cativante e que desperta atenção de todos que a cercam, é humilde e ao mesmo tempo muito corajosa. Corriqueiramente é convidada a trabalhar num circo perto de sua casa para alimentar um tigre, até então tudo ocorre bem e sem nenhuma reviravolta. Até que o Sr Kadam vai até o circo oferecendo-lhe uma oportunidade de ir a Índia levando Ren para o seu destino. O que não sabia é que Ren é um príncipe que foi amaldiçoado a ficar na forma de tigre e só pode assumir a forma humana durante 25 minutos do dia. É uma narrativa eletrizante, apaixonante e muito bem desenvolvida. Não tem como não explicar emocionalmente o que o livro passa, pois realmente ele trabalha até os limites da emoção e da comoção. O amor de uma garota e de um tigre. Zen é um personagem que encanta tanto como tigre, quanto como humano. Suas falas na maior parte levam a suspiros. Zen tem um irmão chamado Damon e durante uma parte do livro ele passa a ser um empecilho do romance entre Ren e Kelsey. As ações no livro são simultâneas e prendem pela fluidez com que os eventos vão ocorrendo na vida desses personagens, principalmente na de Kelsey, que fica bagunçada e reage bem as adversidades que lhe são impostas.

Momento Macchiato

“Ouvi uma grande pancada, e a árvore extremeceu e o libertou. Ele emergiu todo arranhado, mas veio até mim com um sorriso no rosto. Sua expressão logo mudou para um olhar de preocupação, porém, ao me ver boquiaberta,olhando acima de sua cabeça. A árvore estivera bloqueando nossa visão e, agora havia se dobrado sobre si mesma, eu podia ver adiante o reino fantasmagoricamente cinzento de Kishkindha ” – pág 257

Considerações Finais

Como dito anteriormente, não vejo a hora de entrar em contato com o segundo livro da série. Algumas questões ficam a serem desenvolvidas no mesmo é um dos poucos livros que conseguiu me entreter do início ao fim. Bonito, estruturado e com um toque a mais de crenças que te permitem chegar a outros conhecimentos. Os mitos e lendas indianas são assuntos que muito me atraem. Pois são majestosos e muito bons de ler, pois retratam um mundo muito diferente do que vivemos e são encorpados com ensinamentos e deveres.

Indicado para

Para todas as pessoas que se permitem sonhar e vivenciar momentos mágicos e lúdicos.