RESENHA | Os Dois Morrem no Final - Adam Silvera
LiteraturaResenhas

RESENHA | Os Dois Morrem no Final – Adam Silvera

ISBN: 978-65-5560-302-6

Ano: 2021

Editora: Intrínseca

Adquira seu exemplar

 

Olá, aqui quem fala é a Central da Morte.

Sinto muito em lhe informar que em algum momento ao longo das próximas 24 horas você terá um encontro prematuro com a morte.

Em nome de toda a equipe da Central da Morte, sentimos muito a sua perda.

Aproveite este dia ao máximo, está bem?

A Narrativa

Em 2017 uma nova realidade é firmada no mundo: a existência da Central da Morte. Todos já sabem que quando o telefone toca e é ela, não tem para onde escapar: aquele será o último dia de vida da pessoa.

Ninguém sabe como a Central sabe quem vai morrer. É um mistério até para aqueles que trabalham lá. No entanto, ela nunca erra. Sendo assim, o mundo está se adequando à sua existência: há threads no Twitter que alguns terminantes (pessoas que receberam a ligação fazem), assim como alguns aplicativos, como o Último Amigo.

E é através do “Úlimo Amigo” que nossos protagonistas, Mateo Torres e Rufus Emeterio, se conhecem.

[…] é melhor estar vivo querendo estar morto do que estar morrendo e querer viver para sempre.

 

“Meu amor, o que você faria se só te restasse esse dia”

Mateo é um menino reservado. Logo após receber o telefonema da Central da Morte, ele decide que precisa sair de casa e se despedir das únicas duas pessoas que ama: seu pai e sua melhor amiga, Lidia. Mas ele não consegue. Então, resolve baixar o app “Último Amigo”, e conhece Rufus.

Rufus Emeterio perdeu sua família há 4 meses. Certamente foi o pior dia de sua vida quando seus pais e sua irmã receberam a ligação e ele não. Mas seu dia chegou. Ele baixa o mesmo aplicativo que Mateo, a fim de fazer apenas um experimento. O que ele não sabia era que isso mudaria sua vida em seu último dia.

Com a ajuda de Rufus, Mateo sai de casa. Juntos, eles fazem tudo o que ambos desejam fazer, e ao passar das horas a amizade entre os dois se torna não só forte, como também muito especial. No último dia de vida de Rufus e Mateo, eles encontram também o verdadeiro amor.

Um navio está seguro no porto, mas não é para isso que os navios foram criados.

John A. Shedd

Diagramação

A diagramação deste livro certamente é um enorme diferencial. São 400 páginas que passam voando, já que as letras são espaçadas, os capítulos são curtos e a narrativa prende. É um livro para ler em um fim de semana!

Considerações Finais

Nem preciso dizer que a história é recheada de reflexões. Há também muitos trechos engraçados, entretanto, o ponto forte do livro é o drama. O coração fica apertado e é impossível não ficar comovido com o passar das horas enquanto acompanhamos a saga final de Mateo e Rufus.

Recomendo para aqueles que gostam de uma “sofrência” na literatura. Mas se isto pode te despertar gatilhos, tenha cuidado, está bem?

Agora me diz: se pudesse escolher, Você iria preferir saber que é seu último dia ou a surpresa é a melhor opção? Até breve 😉

 

Veja também: RESENHA | O Mapa da Felicidade – Heloísa Capelas

Qual a sua reação?

Entusiasmado
0
Feliz
0
Apaixonado
0
Em dúvida
0
HAHA
0
Thamy Delfino
Uma nerd redatora e revisora, viciada em livros e cultura pop, que também é bookstagramer e tenta ser booktwitcher.

Você também pode gostar

Mais em:Literatura

Os comentários estão fechados.