CyberStorm
ISBN-13: 9788576572183
ISBN-10: 8576572184
Ano: 2015 / Páginas: 368
Idioma: português
Editora: Aleph

Introdução

Em Cyberstorm, EUA sofre um ataque cibernético produzido através de um vírus que causa falhas em todos os meios de comunicação. Além disso, uma tempestade de neve chega a Nova York, uma epidemia de gripe aviária começa e o fornecimento de energia é cortado. Sem comunicação e cheio de perigos eminentes, os moradores da cidade estão num cenário pra lá de caótico, em outras palavras, estão numa espécie de apocalipse.

Sobre Matthew Mather

Matthew Mather é um entusiasta de tecnologia. Já trabalhou com segurança de computadores, criação de games, nanotecnologia e até sistemas de inteligência social. É conhecido pela série de best-seller de ficção científica, The Atopia Chronicles. Em 2013, autopublicou Cyberstorm. A obra obteve um sucesso tão grande que será adaptada para o cinema pela 20th Century Fox.

Edições estrangeiras

CyberStorm 22895474 22058284 25084568 24175479 23013809 27427737

Narrativa

Feita sob o ponto de vista de Mike, um morador de um prédio em NY. Na narrativa temos outros personagens que fazem parte da vida dele: sua família, amigos e vizinhos. Temos um ponto de vista bastante particular e ao mesmo tempo nos dá dimensão de todas as consequências dos acontecimentos.

Já sabem que adoro thrillers, né? Então, já sabem o quanto fiquei satisfeita com a escrita de Matthew, que tem um apelo psicológico muito forte na trama. Tirar o que virou essencial a todos e o que faz nos tornar mais frágeis do que achamos que somos. Tudo é gradual e ao mesmo tempo, ágil. Ficar sem comunicação… sem energia… sem água… efeitos climáticos… muita violência. Tudo isso é um misto dos medos que todos temos em algum grau. O que tá ruim pode piorar sim, e muito!

Capa e diagramação

A Aleph e suas capas maravilhosas, não tenho nem do que reclamar. Tanto na edição do livro como a diagramação, estão muito boas.

Considerações finais

Cyberstorm, promove uma série de discussões, principalmente a dependência que temos com as tecnologias. O quanto somos “escravos” dos meios de comunicação, sem eles a nossa definição de mundo e vida são afetadas. Viciante, bem escrito e é um livro que me marcou bastante pela qualidade e pelo que tem a oferecer. Devastador.