Era Uma Vez à Meia-noite – Luiz Antonio Aguiar 

Edição: 1
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501086822
Ano: 2011
Páginas: 224
Comprar: R$22,88

Mais do que um livro, este é um objeto misterioso. Os contos do pai do suspense, Edgar Allan Poe, são recriados por Leo Cunha, Luiz Antonio Aguiar, Pedro Bandeira, Rogério Andrade Barbosa e Rosana Rios que, juntos, formam o extraordinário Clube dos segredos. O leitor vai conhecer também os textos originais de Poe e seus personagens que bailam entre a loucura e a lucidez.

proibido

Introdução/Premissa

O livro possuí vários contos do Clube dos Segredos, composto por vários autores brasileiros onde fazem uma homenagem ao escritor estadunidense, Edgar Allan Poe. A composição tem o intuito de escrever novos contos com base nos contos do autor homenageado.  O interessante do livro é que ele começa com um breve comentário do autor do conto sobre  Poe, em seguida possui o conto do autor do clube e por fim o conto do Poe traduzido pelo autor do novo conto o que proporciona uma tradução mais recente e muito bem feita. A capa não poderia ser diferente, faz referência a um dos contos mais famosos do autor, O Corvo.

Narrativa

A obra é muito bem coordenada e organizada por Luiz Antonio Aguiar. Os contos são tão bons quanto os do autor. Isso comove e influência uma geração que não está tão acostumada as tramas de Poe, mas muitos autores utilizam os contos do autor para suas obras. Ou seja, fatalmente muitos irão gostar das histórias arrepiantes e reflexivas que ele propõe aos leitores. Cada um pega uma vertente e uma característica específica e através dela surge contos maravilhosos e muito interessantes. O que mais achei interessante e incentivador foram os comentários dos autores sobre as obras e as características presentes nelas.

O conto que me agradou bastante desde o início foi o de Pedro Bandeira no qual ele pega o conto O Coração do Delator e o “transforma” em O Crime Mais que Perfeito, onde o protagonista que mata a mulher, acaba se delatando a polícia após uma tática da mesma em usar um rádio para noticiar a inundação da cidade e quando ele confessa o crime, todos aparecem. Tem um tom bem interessante e bem próximo do conto original, mesmo sendo totalmente novo, encanta e inicia a breve jornada que o livro proporciona.

Os comentários de Rosana Rios são muito pertinentes e aponta uma das características mais relevantes nas obras de Poe. Ele utiliza um narrador e com isso o leitor é inserido na história junto com o personagem, o que cativa e consegue um efeito bem interessante. E aponta um dado que não me recordava, Machado de Assis foi tradutor dos contos de Poe no Brasil e utilizou da técnica do efeito do texto em suas obras e isso tem grande influência em suas obras.  O texto da autora O Poço, com referência ao conto O Poço e o Pêndulo apresenta um efeito bem interessante, pois evoca sons e imagens durante todo o tempo. O conto utiliza de palavras marcantes que evocam esses sentimentos que ficam expressos nas páginas.

O conto de Aguiar é muito interessante e bem próximo do que costumo amar que trabalha a moderna literatura policial e Poe foi um dos primeiros a fazer isso e tem uma bela captação da essência – do qual tenho de confirmar as afirmações do autor – não existiria se não houvesse um Edgar Allan Poe.

Momento Macchiato


Considerações Finais

É um livro indispensável para quem gosta do gênero e tem vontade de conhecer as obras do Poe. Pois é um livro leve e muito bem conduzido o que torna interessante e muito instrutivo. Recentemente vi que existem poucos leitores do livro no skoob, o que é uma pena. Pois o livro possui uma carga de conhecimento além das expectativas. Espero que se encantem tanto quanto eu. Já fui uma leitora voraz dos contos góticos de Poe. E provavelmente farei uma nova leitura dos contos para comentar um pouquinho com vocês, leitores. O que acham?