Escândalo

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581633176
Ano: 2013
Páginas: 384

Amelia Wilkes tem um pai rigoroso que não permite que ela namore, mas isso não a impede de viver um romance secreto com o cativante Anthony Winter. Desesperadamente apaixonados, os dois sonham uma vida juntos e planejam contar tudo sobre seu amor aos pais de Amelia… Mas só depois que ela completar dezoito anos — e for legalmente reconhecida como adulta. No entanto, a paixão do casal é exposta mais cedo do que o previsto… Eles são jovens, andam grudados aos seus celulares e postam todo tipo de informação — inclusive aquelas informações mais particulares, que só deveriam dizer respeito a eles mesmos — até que o pai de Amelia encontra fotos de Anthony, nu, no computador de sua filha. Poucas horas depois, Anthony é preso. Apesar dos protestos de Amelia, seu pai usa de todo o poder e influência entre os policiais, e entre os meios de comunicação, para transformar Anthony em um pervertido que caçava sua inocente filha. De mãos atadas, cabe aos dois apaixonados arriscar uma última saída, ousada e perigosa, e apagar a acusação de sexting que Anthony recebeu.

proibido

Introdução

 O lançamento e divulgação do livro me deixou bastante curiosa quanto a narrativa. Já tivemos uma outra versão de Romeu e Julieta publicada pela editora, agora é uma história que tem quase  o mesmo tema, já que fala sobre um amor proibido, adaptada em um cenário mais atual e com questões mais atuais. Uma narrativa que propõe uma obra fictícia, porém, ao ler sabemos que aconteceu algo parecido com o filho da autora. Ou seja, tem um pouquinho de realidade na trama.

Narrativa

Amelia é uma menina educada, generosa e o que mais deseja é completar os 18 anos, se mudar para NY e frequentar a faculdade ao lado de Anthony. Porém, as coisas fogem ao controle quando o seu pai fuça o seu computador e descobre um e-mail com fotos sensuais de um garoto. Porém, o pai custa acreditar que Amelia havia se envolvido com alguém, sem contar a ele e a mãe. E quando é questionada, diz que foi uma brincadeira e que não era para ser levado a sério. Porém, o pai dela não pensa assim, decide chamar a polícia e se envolver em um processo contra Anthony. É claro que Amelia quer que ele esqueça, mas as coisas fogem ao controle. Anthony e Amelia são proibidos de se ver ou ter qualquer tipo de contato. Harlan que é o pai de Amelia, faz o possível para que isso não aconteça. Anthony é um garoto que mora com a mãe, carinhoso e apaixonado por Amelia. Ele e a mãe são muito unidos e muito bem resolvidos, diferente do que acontece na casa de sua namorada.

É possível entender o comportamento de Harlan, pois ele não imaginava o que passava na vida da filha, mas o que deixa de perder a razão é quando ele bisbilhoteia a vida da filha e principalmente não a deixa fazer escolhas. Quando pais adotam esse tipo de postura, vão encontrar revoltas e muitos problemas no relacionamento, o que realmente ocorre na trama.

A narrativa de Therese  tem uma premissa interessante, porém impliquei com o nome da trama. Já que não reflete a situação ao qual os personagens vivem. É como Jogos Vorazes, que não tem nada de voraz.  A escolha do título não foi assertiva e passa até por uma “propaganda enganosa”. O que mais me incomodou mais que realmente reflete uma juventude sem diálogo com os pais, tudo seria facilmente resolvido, se houvesse o diálogo com os pais de Amelia. Aos poucos o livro vai perdendo o encanto, pois se torna repetitivo e sem um dado novo. Sendo assim o livro beira a monotonia.

Diagramação

A capa é o retrato de Amelia e Anthony. Uma foto delicada, sensível e que reflete no sentimento de ambos. Utilizaram fonte diagramação delicadas que agradaram também.

Considerações Finais

Esperava muito mais do livro, acho que como um todo, a maioria das pessoas que tiveram a oportunidade de ler ficaram com a expectativa nas alturas. Isso pode ter atrapalhado, porém, não foi relevante. A forma de construção adotada pela autora é que de fato incomodou, começa muito bem, tem um desfecho que demora a acontecer. Poderia ser melhor, mas infelizmente, não foi.