Fale!

Edição: 1
Editora: Valentina
ISBN: 9788565859073
Ano: 2013
Páginas: 248
Tradutor: Flávia Carneiro Anderson

“Fale sobre você… Queremos saber o que tem a dizer.” Desde o primeiro momento, quando começou a estudar no colégio Merryweather, Melinda sabia que isso não passava de uma mentira deslavada, uma típica farsa encenada para os calouros. Os poucos amigos que tinha, ela perdeu ou vai perder, acabou isolada e jogada para escanteio. O que não é de admirar, afinal, a garota ligou para a polícia, destruiu a tradicional festinha que os veteranos promovem para comemorar a chegada das férias e, de quebra, mandou vários colegas para a cadeia.

E agora ninguém mais quer saber dela, nem ao menos lhe dirigem a palavra – insultos e deboches, sim – ou lhe dedicam alguns minutos de atenção, com duvidosas exceções. Com o passar dos dias, Melinda vai murchando como uma planta sem água e emudece. Está tão só e tão fragilizada que não tem mais forças para reagir.

Finalmente encontra abrigo nas aulas de arte, e será por meio de seu projeto artístico que tentará retomar a vida e enfrentar seus demônios: o que, de fato, ocorreu naquela maldita festa?

proibido

Introdução

É um dos livros mais pesados que li nesse ano. Sim, trata de um assunto totalmente ignorado e que pode acontecer com várias pessoas e causar sérios problemas e transtornos na vida de estudantes. Melinda é uma garota comum, vai a uma nova escola porém ela é estuprada durante uma festa. Infelizmente, Melinda tenta agir, chama a polícia e acaba com essa festa. Porém, fica tão transtornada que foge sem ao menos prestar queixa. Melinda já tinha poucos amigos e passa a viver pelas beiradas, a margem de um colégio que ela mesma diz que não se importam com o que acontece com os alunos. Melinda é inserida em uma profunda depressão e desgaste. Pois não tem mais forças para reagir.

Narrativa

O livro começa com relatos que foram enviados a autora depois da leitura do livro. Isso fez com que a narrativa ganhasse mais força e convicção. Melinda é retraída e insegura. Conhecemos Melinda em seu momento mais frágil. Antes disso, talvez tenha sido alguém totalmente diferente. Mas o que Laurie mostra é uma garota que carrega muitos segredos e dores.  As notas da protagonista caem gradativamente. A relação com os pais também vai ficando cada vez mais difícil e os pais não percebem o que acontece com a filha, afinal, estão muito ocupados com o trabalho para se quer notar a diferença que não seja as notas da garota. Uma narrativa minuciosa e que cativa do melhor jeito, com uma boa trama, com bons personagens e situações as quais embora não sejam confortáveis, atraem o leitor mais exigente.

Quote Favorito

Está cada vez mais difícil falar. A minha garganta vive ferida, os meus lábios, em carne viva. Quando acordo de manhã, o maxilar está tão contraído que me dá dor de cabeça. Às vezes a minha boca relaxa perto da Heather, quando a gente está sozinha. Sempre que tento conversar com os meus pais ou um professor, balbucio ou congelo. O que tem de errado comigo? É como se eu tivesse algum tipo de laringite espasmódica. – 67

Considerações Finais

Embora muito criticado a escolha da capa do livro, ela é imagem de um dos acontecimentos mais importantes do livro. Foi uma escolha ousada e que no fim, me agradou bastante.

Laurie cria uma narrativa onde trabalha temas como amizades, juventude, período escolar, sexualidade e distúrbios que podem surgir nesse período.

Apaixonante como o primeiro livro que li da autora. Muito bem explorado, organizado e o cuidado com uma personagem tão delicada. É um livro pra se ler e reler constantemente. O que é escrito na contracapa totalmente se adequa ao livro. É transformador e com a total certeza de que é um livro que faz o leitor pensar e repensar.

O livro já possui uma adaptação cinematográfica, se chama o O Segredo de Melinda. Agora, pós leitura, procurei o filme e que é igualmente bom.