O Livro das Princesas

Edição: 1
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501403254
Ano: 2013
Páginas: 288

Da mesa da Princesa Mia Thermopolis: Olá, amigos, fãs e companheiros admiradores de princesas (ou eu deveria dizer simpatizantes de princesas?)! Eu mal pude acreditar quando alguém do Brasil permitiu que EU desse uma olhadinha neste livro. Mas acho que faz sentido, já que, além de ser uma princesa, também tenho verdadeira paixão por histórias românticas! Acreditem no que eu digo, este livro tem essas duas coisas de sobra! Mas são releituras contemporâneas, com reviravoltas que farão você dizer owwwwnnnnnn… Uma Cinderela DJ? Rapunzel popstar? Bela é uma supermodelo? E unicórnios em A Bela Adormecida?! Sim, por favor! Mais, mais. POR FAVOR. Não se preocupem, tem mais. Muito mais. Eu amei, e vocês também vão! (Sim, você também vai amar, Tina Hakim Baba. Pode pegar meu exemplar emprestado quando eu terminar de ler. Não, melhor: compre o seu. Assim você vai poder ler de novo e de novo, como eu pretendo fazer.)

Sinceramente, Sua Alteza Real, Princesa Mia Thermopolis
proibido

Introdução

Desde sua produção, havia ficado bastante curiosa com esse livro de contos. A importância dele é bem grande tendo em vista que duas escritoras brasileiras e junta com duas escritoras americanas e de grande porte. Eu não tinha lido nada da Paula e nem da Patrícia. Confesso que foi uma grande surpresa. O livro aborda os contos de fadas de uma maneira totalmente atual.

Narrativa

Cada uma a sua maneira. Essas 4 consagradas autoras propõe histórias de princesas totalmente diferentes.

A primeira trama é a de Meg, intitulada A Modelo e o Monstro. No qual Meg insere a personagem Belle Moris, uma modelo que está de férias em um cruzeiro e conhece um garoto que ela mesmo intitula de “sombrio misterioso” e que depois descobrimos que se chama Adam. Ele a salva de uma situação. O conto é gostosinho de ler, porém falta algo que Meg aparentemente em todos os contos em que faz um antologia, não funciona. Meg reconta Bela e a Fera em um cruzeiro.

O segundo é o de Paula Pimenta, que leva o título de Princesa Pop e conta a história de uma garota chamada Cintia, que no início do conto passa por um problema familiar muito grave. Se irrita com o pai e a mãe está viajando. Ela é obrigada a comparecer a uma festa onde sua meia irmã está fazendo aniversário. Porém, ela conhece Freddy Prince (Frederico), um famoso integrante de uma banda. O conto reconta a história de Cinderela. Cintia é uma menina moderna, doce e trabalha como DJ. É o conto mais aprofundado do livro. Me fez querer conhecer um pouco mais dos livros da autora, já que não tinha contato com eles. O que faltou na Meg, sobrou na Pimenta. 😀

O terceiro conto é de Lauren Kate, se chama Eclipse do Unicórnio. Com uma narrativa bem diferente das anteriores é bem criativa e até um pouco mais sombria do que as outras. Talia foi amaldiçoada, embora tenha o destino em ser grande, ela é enfeitiçada por um unicórnio. O anjo do amor conseguiu reverter parte da maldição, ao invés de morrer, ela adormeceria até receber um beijo de um amor verdadeiro, haveria outras exigências também, como por exemplo, ser uma noite de céu estrelado e durante um eclipse, sendo assim, praticamente impossível de reverter totalmente. Depois de 1000 anos talvez essa história tenha um final feliz. Lauren reconta Bela Adormecida de um jeito bem maluco. No começo vai muito bem, mas a trama infelizmente perde o sentido e fica bem cansativa em relação as outras.

E o último conto é o de Patricia Barboza e se chama Do Alto da Torre. Camila é uma garota agitada e bem extrovertida, ela mora com sua tia no 12º andar e ela mesma diz que se sente em uma torre, a sua torre. Camila assim como Rapunzel tem os cabelos enormes e só poderia cortá-lo quando completasse 15 anos, segundo sua tia. Na trama de Patricia temos um triangulo amoroso, dois personagens homens que são inseridos, Camila gosta de um, porém seu melhor amigo, a ama. Outro ponto que Patrícia também inseriu ao contar essa narrativa, Camila faz um vídeo com seu melhor amigo e vira sucesso no Youtube. Patrícia reconta Rapunzel de um jeito bem apaixonante e contemporâneo.

Quote Favorito

Até hoje eu não sabia o nome dela. Por isso a chamava por vários apelidos…DJ Cinderela. Rainha de Copas. E o meu preferido, que acho que não conseguirei me desacostumar, pois é exatamente isso que ela é: uma princesa. Uma princesa que agora música pop. E eu também não conhecia o rosto dela. Pelo menos achei que não…Mas há poucos minutos constatei que era exatamente como eu a via nos meus sonhos. – Pág. 183

Considerações Finais

É um livro obrigatório para quem gosta do gênero. São 4 histórias muito interessantes e fofas (umas mais e outras menos). As narrativas são tão curtinhas que deixam saudade. Acredito que esse seja o ponto positivo. Pois não deixam o leitor entediado, pelo contrário. Ele sempre quer mais. Os contos que mais me chamaram atenção foram os brasileiros. Embora Lauren e Meg sejam mais famosas, o cuidado com os contos foi muito superior por parte das nossas queridas autoras.