Ghostgirl – Tonya Hurley 

Edição: 1
Editora: Agir
ISBN: 9788522009190
Ano: 2011
Páginas: 320

Charlotte Usher está no último ano do ensino médio e se sente praticamente invisível na escola, até que um dia fica invisível de verdade. Pior ainda: morre. E tudo por causa de um cara e uma bala de goma. Mas ela está tão desesperada para ser popular que o desejo permanece mesmo após sua morte repentina. Aproveitando suas habilidades de fantasma, Charlotte não descansará enquanto não conseguir o amor de Damen, o garoto dos seus sonhos. Romance de estreia da autora e cineasta Tonya Hurley e best-seller da lista do New York Times, o livro foi traduzido para mais de vinte idiomas, incluindo francês e espanhol, e é o primeiro volume da trilogia Ghostgirl.

proibido

Introdução

Eu queria muito, muito ler esse livro. Já fazia um tempo que ele estava em minha lista. E felizmente ganhei uma promoção da agir, junto com o blog da minha amiga Gabrielle (Livros&Citações). Não hesitei o escolhi. Bom, adianto que o livro não me decepcionou.

Narrativa

A narrativa de Hurley, é muito boa. A premissa da história é ainda melhor. Charlotte é uma personagem cativante, honesta, divertida, atrapalhada e determinada. A história tem um começo bem polêmico. A morte da personagem se dá de uma maneira bem engraçada, porém não descarto de que alguém algum dia não fez a mesma coisa. Gosto das transições de capítulos com citações que resumem a temática que será inserida a trama da vida e morte trágica da protagonista. Um livro que reflete de maneira bem doce o que é passar por algo como a morte de um jeito maduro e divertido. Sim, dá pra trabalhar uma trama de modo maduro sendo divertido. Aos poucos a protagonista demonstra uma evolução e uma aceitação de que as coisas não são como queremos.

Momento Macchiato

“Então ela gritou com tanta intensidade que nenhum som saiu de sua boca. Foi um grito de outro mundo, que só poderia ser causado pelo mais profundo terror. Você está morta. Charlote não conseguia mais parar de ouvir aquelas palavras e sentiu-se como se sua alma houvesse sido congelada” – pág 35

Considerações Finais

Um livro que é bem escrito, interessante e tem uma narrativa criativa. Charlotte é uma personagem que é bem próxima do imaginário adolescente. Muitas pessoas vão se identificar com ela. A edição da Editora Agir está impecavelmente bonita o que trás um atrativo maior pra trama que não deixa a desejar.