Ladrão de Olhos – Jonathan Auxier 

Ladrão de Olhos

Edição: 1
Editora: Editora Leya
ISBN: 9788580442700
Ano: 2012
Páginas: 424
Tradutor: Alice Klesck

Peter Nimble é um jovem órfão e cego que aprendeu a sobreviver no mundo do crime. Tratado como um escravo pelo cruel sr. Seamus, todas as noites Peter é obrigado a roubar dos bons cidadãos da cidade e, durante o dia, permanece trancado em um porão, onde sonha com um futuro melhor. Até o dia em que ele rouba um objeto de um misterioso viajante – uma caixa que contém três pares de olhos mágicos. Ao experimentar o primeiro par, Peter é instantaneamente transportado para uma ilha secreta, onde ele terá uma missão especial: resgatar um povo em apuros no perigoso Reino Desaparecido! Peter Nimble, juntamente com seu fiel companheiro – um cavaleiro que foi transformado em uma estranha combinação de cavalo e gato – e com a ajuda dos olhos mágicos, embarcará em uma inesquecível aventura de capa e espada para descobrir seu verdadeiro destino. Para vocês que não conhecem nada sobre crianças cegas, saibam que dão os melhores ladrões. O que o destino reserva a uma criança cega e órfã, que usa seus dotes para roubar todo tipo de objeto de qualquer tipo de pessoa? Uma criança que dorme em um porão escuro e frio durante o dia e é obrigada a sair furtivamente à noite para cometer seus delitos e, assim, sobreviver? O que o destino reserva a um garoto de dez anos que já é considerado o maior ladrão que já nasceu? O destino, caro leitor, reserva a essa pobre criatura três olhos mágicos, que irão levá-lo a uma viagem inesquecível, na qual inimigos e estranhas criaturas estarão à espreita em lugares completamente deslumbrantes e magníficos! O destino lhe reserva um amigo que estará por perto sempre que precisar e aventuras que farão de Peter Nimble, o órfão, o cego, o pobre coitado, um dos maiores heróis que já existiu!

proibido

Introdução

O livro era um dos meus favoritinhos para compra desde que foi lançado, eu não confiava muito pois não conhecia o autor e nem via resenhas sobre ele nos blogs que confio e visito. Mas quando me deleitei com a leitura através da cortesia que a editora Leya enviou, vi o quanto boba fui de não ter pego ele antes para ler. O autor além de escritor é roteirista de Hollywood e tem muito disso na narrativa. É um livro praticamente pronto pra ser rodado. É um livro muito imagético e mágico. Os personagens cativam e atraem facilmente.

Narrativa

A narrativa é dividida em 3 partes (ouro, ônix e esmeralda). Peter é um personagem o qual você acaba gostando ao longo do livro. Apesar de sua deficiência é alguém bem ágil e apto a participar de todas as aventuras, muito corajoso. O professor é outro personagem, mesmo que pequeno diante de alguns outros também ganha a simpatia do leitor facilmente. As partes que falei anteriormente fazem parte da caixinha de pares de olhos que Peter encontra com o caixeiro-viajante e cada um é feito de uma preciosidade e os poderes que eles têm, são diferentes. Gosto de livros bem construídos, que provoquem o leitor a ir em frente e desvendar/desbravar as intemperes. Jonathan consegue atrair e fazer com que o leitor atente até as pequenas coisas. A descrição dos personagens, ambientes é muito detalhada o que faz com que o leitor tenha conhecimento pleno do que acontece naquele momento. Peter tem um destino muito nobre, apesar de ter tido uma vida sofrida vai batalhar e descobrir algo da sua vida da qual ele nunca imaginaria pertencer. A curiosidade de Peter é encantadora, outro ponto positivo para que o livro não fique maçante. Fantástico.

Momento Macchiato

“Eu não lhes disse disse porque não é da conta de vocês – ele murmurou, esfregando a cabeça dolorida. Afastou-se e foi inspecionar o que tinha causado a agitação. Era exatamente o que temia. A misteriosa caixa do caixeir0-viajante estava quebrada e aberta, e no chão do terraço havia seis olhos fantásticos.” – pág 315

Considerações Finais

O livro é bem escrito e atrativo. É uma grande viagem e uma aventura implacável. A edição está bem feita, atrativa a todas as idades. Em cada capítulo a uma ilustração que pertence ao momento do mesmo. É um livro facilmente adaptado para o cinema, tanto em animação quanto com personagens reais. Eu assistiria.