Ligações

ISBN: 9788542804812
Ano: 2015 / Páginas: 304
Idioma: português
Editora: Novo Século

Georgie McCool sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura.
Talvez sempre esteve em segundo plano.
Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças.
Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo.
Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer…
Será que é isso mesmo o que ela deve fazer?
Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?

Introdução

Quem me conhece, sabe que sempre que há lançamentos da autora no Brasil, fico mega empolgada para ler, com Ligações não foi diferente, assim que ele chegou até mim, o devorei e fiquei inquieta até escrever essa resenha pra vocês.

Em Ligações, Georgie McCool, é uma mulher de 30 e muitos que escreve para programas de comédia. Ela tem um grande sonho: escrever seu próprio programa com um humor refinado (sem frases de efeito e risos pré gravados). Georgie e Seth (um amigo de faculdade), conseguem uma reunião com um estúdio que está interessado no programa que escreveram. Os problemas são: a reunião será no dia 27 de dezembro, onde nesse dia, Georgie deveria estar na casa dos sogros e precisam levar um roteiro com quatro episódios a essa reunião. Ou seja, eles terão que preparar esses episódios em 10 dias.

Quando Georgie conta ao seu marido, Neal, vai com as filhas até a casa dos seus pais. Mesmo com esses problemas, Georgie ainda tem tempo de se preocupar com o seu relacionamento, que anda frágil. Será que ela poderá ter seu sonho realizado e se manter feliz no relacionamento? Através de uma descoberta de Georgie, poderá mudar o curso do seu fracasso em seu relacionamento com Neal? Esse é o plot da construção do novo livro de Rainbow.

Sobre Rainbow Rowell

Rainbow Rowell é uma autora americana de livros jovens-adultos ou adulto-contemporâneo. Seus livros jovem-adulto Eleanor & Park e Fangirl receberam muita aclamação da crítica em 2013. Ela é casada e tem dois filhos.

Site oficialTwitterFacebook

Edições Estrangeiras

21869936 24173305 21964163 23014653 21964156

Narrativa / Personagens

A narrativa é fragmentada e divertida, ao mesmo tempo lida bem com o drama do relacionamento e o prazo para a reunião que pode tornar o sonho da protagonista em realidade.

É uma “mistureba” de conversas, lembranças, reflexões em dois tempos (passado e presente). A narrativa é cheia de referências da cultura pop. Cada livro cultua um elemento geek. Em Landline, a “viagem no tempo” é explorada.

Georgie descobre um jeito que pode ajudar a evitar um divórcio, um telefone fixo permite que Georgie volte no tempo em que seu relacionamento não estava desgastado. Para assim, tentar alterar presente.

Mas, o único problema que tive ao ler o livro, foi as características e falhas da protagonista. Sim, Georgie é humana, passível de erro e tudo mais. Entretanto, muitas das vezes, ela se demonstra imatura e egoísta. Claro que todos querem realizar seu seus sonhos, mas ao ponto de prejudicar sua família, é complicado. Aos poucos vemos como Neal lidou com várias situações, como abdicar de sua carreira para cuidar da suas filhas pequenas enquanto Georgie vai atrás de seus sonhos.

Alice é a filha mais velha, inteligente e até mais madura do que os personagens adultos. Noomi, é a gatinha verde – a parte mais fofa e doce do livro – que adora atender o telefone dizendo miau ♥.

Seth foi um personagem que vivi uma série de amores e ódios. Ele também faz parte dos diálogos cômicos presentes no livro.

Um ponto positivo que sempre ocorre nos livros de Rainbow é que os personagens secundários são bem desenvolvidos, ao ponto de serem tão importantes quanto os protagonistas (que nem sempre me agradam).

Diagramação / Capa

Gosto muito da capa do livro, a diagramação interna, segue um padrão estipulado pela editora que permite sempre uma boa leitura. A única diferença é que a cada novo capítulo, o texto é inclinado. E o livro é dividido em dias e capítulos.

Considerações Finais

Ligações é um “lembrete” do que realmente é importante na vida. Muito mais do que os sonhos, o amor e família devem estar em primeiro plano. Quando não é assim, as consequências podem ser grandes, inevitáveis e dolorosas. Tema que já foi explorado por Cecelia Ahern em O Presente e por Maurício Gomyde em Máquina de Contar Histórias.

Confira outras resenhas publicadas no Macchiato

Anexos – FangirlEleanor & Park