Lonely Hearts Club – Elizabeth Eulberg

lonely_review

Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580570496
Ano: 2011
Páginas: 238

Penny Lane Bloom cansou de tentar, cansou de ser magoada e decidiu: homens são o inimigo. Exceto, claro, os únicos quatro caras que nunca decepcionam uma garota — John, Paul, George e Ringo. E foi justamente nos Beatles que ela encontrou uma resposta à altura de sua indignação: Penny é fundadora e única afiliada do Lonely Hearts Club — o lugar certo para uma mulher que não precisa de namorados idiotas para ser feliz. Lá, ela sempre estará em primeiro lugar, e eles não são nem um pouco bem-vindos. O clube, é claro, vira o centro das atenções na escola McKinley. Penny, ao que tudo indica, não é a única aluna farta de ver as amigas mudarem completamente (quase sempre, para pior) só para agradar aos namorados, e de constatar que eles, na verdade, não estão nem aí. Agora, todas querem fazer parte do Lonely Hearts Club, e Penny é idolatrada por dezenas de meninas que não querem enxergar um namorado nem a quilômetros de distância. Jamais. Seja quem for. Mas será, realmente, que nenhum carinha vale a pena? “Leitura imperdível para qualquer pessoa que já esteve apaixonada… ou que jurou nunca mais fazer isso de novo.” Stephenie Meyer, autora de Crepúsculo

proibido

Introdução

O livro de Elizabeth Eulberg é bastante sugestivo. Obviamente o assunto do livro é sobre garotas que deixam de se envolver com garotos. É um clube encabeçado por uma garota chamada Penny Lane, tanto o nome da personagem como o título são referências a banda Beatles.

Narrativa

A narrativa de Eulberg é bastante divertida. É um livro que tras as coisas com uma leveza e com uma criatividade ímpar. Gosto do senso de humor incutido no livro, acho que torna a leitura muito mais marcante nesse quesito. É um livro que não necessita grande conhecimento, tanto de Beatles, como de relacionamentos. São garotas jovens, educadas e dispostas a trabalhar em grupo. A ideia de Penny Lane em criar o grupo surge de uma traição. E o clube vai tormando proporções cada vez maiores até chegar a encomodar tanto a direção do colégio quanto os garotos que estudam nela. As regras criadas são bastante drásticas, porém muita coisa acontece no livro até que encontrem o melhor jeito de se organizarem. Existem vários personagens super carismáticos, um deles é Ryan.

Diagramação

Como a referência é aos Beatles, não poderia ser diferente. A capa é referência ao disco mais famoso da banda. O livro é separado por momentos e pequenos trechos da música da banda são colocados em sincrônia com o que acontece.

Quote Favorito

“O cara perfeito não existe.
E aquela linda foto da inocente noiva em miniatura com o garoto que um dia partiria seu coração?
Também não existia mais.
Eu assisti enquanto ela era engolida pelas chamas” – 13

Considerações Finais

Achei o livro uma graça. O grande motivo: eu adoro Beatles. E vejo que muita gente não parou pra ouvir eles. O livro trás a tona conhecimento de várias outras pessoas para as músicas dos garotos de Liverpool. A experiência de ouvir Beatles enquanto lê é mais inriquecedora. Quem tiver a oportunidade de ler e ouvir, verá o quanto é bacana.