Louca Para Casar – Sophia Kinsella

Edição: 1
Editora: Record
ISBN: 9788501094032
Ano: 2013
Páginas: 348
Tradutor: Alice França

Milly está a quatro dias de um casamento digno de contos de fada com Simon, um jovem rico por quem é perdidamente apaixonada. É a cerimônia mais aguardada do ano pela alta sociedade, mas um detalhe pode pôr tudo a perder. Dez anos antes, Milly se casou com um amigo americano gay para que ele vivesse na Inglaterra com o parceiro, mas logo ambos perderam o contato e nunca se divorciaram. Tudo permaneceria em segredo se não fosse a chegada de Alexander, o fotógrafo, que por acaso também presenciou a primeira união. Agora ela terá que correr contra o tempo para encontrar o “marido” e obter o divórcio antes que todos descubram que a noiva, na verdade, já é casada.

proibido

Introdução

Sophie tem o dom da escrita pro gênero, isso ninguém tem dúvida né? Pois em Louca para Casar teremos uma comédia romântica dramática leve, encantadora e um pouco desastrada. O título me remeteu em alguém louco para casar e que estivesse disposto a fazer isso a qualquer custo. Mas, não vi nada disso em Milly. Ela ama Simon e deixou o que fez no passado passar batido durante tanto tempo em função desse amor.

Narrativa

Milly é uma mulher de 28 anos e que está perto de se casar com o homem que ama. Porém, ela tem um segredo. Ela já é casada. Sim, ela casou com um homem aos 18 anos para ajudá-lo a ficar no país. Há poucos dias antes do casamento e com todos os preparativos prontos, Milly entra em parafuso e decide ir atrás de Allan e Rupert.

O livro é bastante leve, como disse anteriormente. Parece um pouco confuso saber que Milly não foi totalmente sincera com Simon. Causaria menos ter contado antes e resolvido antes os papéis de divórcio com o seu marido que nunca foi marido.

Porém, Sophie conta uma boa história, que nos faz refletir o amor, sexualidade e a importância da família na vida das pessoas.

Diagramação

A diagramação da editora Record ficou simples, mas bonita. Sem muito exagero e possui com cores que remetem ao casório. Nessas horas, menos sempre é mais. Adoro o tom salmão da capa.

Considerações Finais

Leitura fácil, divertida e bem explorada. Os livros da Sophie embora tragam temas simples e corriqueiros. Por de trás, vemos o seu conservadorismo e seu discurso sobre o que pensa. Clara, objetiva e bem reproduzida. Facilmente se pode adaptá-la para o cinema, não duvido que no futuro não aconteça.