Nosferatu

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412970
Ano: 2014
Páginas: 624
Tradutor: Fernanda Abreu

Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem.

Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor.

E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca… e acaba encontrando Charlie.

Mas isso faz muito tempo e Vic, a única criança que já conseguiu escapar, agora é uma adulta que tenta desesperadamente esquecer o que passou. Porém, Charlie Manx só vai descansar quando tiver conseguido se vingar. E ele está atrás de algo muito especial para Vic.

Perturbador, fascinante e repleto de reviravoltas carregadas de emoção, a obra-prima fantasmagórica e cruelmente brincalhona de Hill é uma viagem alucinante ao mundo do terror.

proibido

Introdução

Em Nosferatu, Victoria Mcqueen, uma garotinha que aos 8 anos ganhou uma bicicleta. Ao ver seus pais discutindo por uma pulseira perdida, ela sai pedalando a procura dessa pulseira em um bosque. Ela passa por um atalho e sai exatamente no local onde o objeto estava. Vic, deseja encontrar alguém que possa explicar o que estava acontecendo e como ela consegue fazer isso. Ela acaba encontrando uma bibliotecária que possui um “dom” muito parecido com o dela. Porém, não acontece da mesma forma. Enquanto Vic consegue com sua bicicleta, Margareth, é através de palavras cruzadas. Margareth, avisa Vic para que tome cuidado com um rolls-royce que pertence a Charlie Manx. Charlie Manx também tem um poder através do seu carro. Ele leva pessoas para onde ele dita as regras, um lugar chamado A Terra do Natal, como um parque de diversões bem macabro. E assim começa Nosferatu. Mais um livro brilhantemente escrito por aquele que se tornou um dos meus autores favoritos desde a minha primeira leitura de um romance dele, A Estrada da Noite.

Sobre Joe Hill

Joseph Hillstrom King, mais conhecido como Joe Hill é um escritor estadunidense de livros do gênero de ficção. É filho do também escritor Stephen King. Seu nome foi escolhido como uma forma de homenagem ao anarquista sueco Joe Hill.

Narrativa

Eu não sei como ele consegue, mas consegue me prender independente de qualquer história que vá contar. Joe Hill deve ter poderes mágicos sobre a mente dos leitores. Pois não é possível ficar tão preso a uma narrativa como ele propõe. A trama conta com muitas reviravoltas. O clima é perturbador desde o início. Charlie é um clássico vilão, não tem como ficar assustado com as barbaridades que permeiam essa mente. Vic é uma garota incrível e qual irá se apegar a cada página. Sempre torcemos por ela. Como puderam notar, Nosferatu é dividido em dois mundos, o mundo como conhecemos e o mundo particular de cada personagem, um mundo construído de pensamentos.
Isso pode soar confuso, mas a uma leitura atenta e bem feita, fica claro a ideia que o autor pretende passar ao leitor.

Diagramação

O trabalho da editora ficou bem caprichado. A capa, diagramação, tudo é bem trabalhado. A capa segue o estilo noir, com o rolls-royce do Charlie, que tem grande parte da narrativa em si.

Considerações Finais

É um livro que aos meus olhos, consolida uma ideia que já tinha do autor. Ele tem plena segurança das suas histórias. São tão bem feitas e amarradas que é notável a sua habilidade em construí-las. Joe Hill é um dos melhores escritores da atualidade. E não precisou de um pai, embora seja mundialmente famoso (e adorado por mim), para tal feito.
Se você ainda não leu nenhum livro de Joe Hill, recomendo que o faça. Pois todos acertam justamente no ponto psicológico do medo, da insegurança, do real e imaginário. É sempre muito bom ler livros que te fazem pensar e vivenciar as emoções através das páginas. Sejam assustadoras ou não, são fantásticas. Para mim, se tornou o melhor livro do ano no gênero.