PS.  Eu Te Amo

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581630625
Ano: 2012
Páginas: 368
Tradutor: Carolina Caires Coelho

Gerry e Holly eram namorados de infância e ficariam juntos para sempre, até que o inimaginável acontece e Gerry morre, deixando-a devastada. Conforme seu aniversário de 30 anos se aproxima, Holly descobre um pacote de cartas nas quais Gerry, gentilmente, a guia em sua nova vida sem ele. Com ajuda de seus amigos e de sua família barulhenta e carinhosa, Holly consegue rir, chorar, cantar, dançar e ser mais corajosa do que nunca.

proibido

Introdução

Eu ainda me pergunto como Cecelia conseguiu escrever um livro de tamanha complexidade em idade tão tenra. Ela fala de um sentimento com tanto detalhe que fica difícil acreditar tal feito. Pois bem, ela de fato conseguiu emocionar grande parte do mundo com sua história. E isso é levado em conta durante a leitura.

Como a maioria de vocês assisti o filme antes de ler o livro, ano passado tive a oportunidade de lê-lo em inglês. E esse ano a Novo Conceito trouxe o livro para o Brasil em uma versão bem feita, digna dos livros de Cecelia.

Narrativa

A narrativa é bem diferente do ambiente do filme, se bem me lembro muitos dos acontecimentos do filme não combinam com os que estão presentes no livro. Não há desmerecimento por parte da adaptação. Pois a essência do livro, está na tela. Embora de modo como hollywood gosta. Tá ok? O livro veio numa edição grande, cheia de capítulos e rechadas de bons momentos. O livro aos poucos como o filme, dá a sensação de uma depressão na leitura, pelo fato da vida de Holly ser totalmente átipica. Quem não gostaria de um Gerry? Embora com os defeitos, o carinho e o sentimento de amor dele por Holly é invejável. Não se encontra com facilidade por aí. Gosto da pré disposição de Holly em fazer o que o seu amado marido a propõe. A trama vai se intensificando a tal ponto que as páginas vão girando automaticamente. É gostoso ler livros o qual se indentifica, comove e vai adiante sem enjoar. Esse livro não é nada enjoativo, pelo contrário. Ele tende a ansidade em continuar. É como se passassemos pelo luto, junto com Holly, cada passo dela é um passo nosso. Talvez seja esse o motivo dele ser tão incrível e aclamado pelas pessoas. Pois ele faz com que você passe a ser Holly durante sua leitura.

Momento Macchiato

“Não tenha medo de se apaixonar de novo. Abra seu coração e siga por onde ele levar… e lembre-se de mirar a Lua…” – pág 337

Considerações Finais

Preciso dizer que gostei? Acho que não. Uma resenha implica em dizer o que gostou e não gostou durante a leitura. E posso deixar claro que nada me provocou irritações, só o fato de Gerry ter tido um fim tão precocemente. A amargura faz parte desse processo. Quando o lerem, leiam com carinho e dispostos a vivenciar. Não tem prazer melhor do que se deixar levar pela narrativa.