Reconstruindo Amelia

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412857
Ano: 2014
Páginas: 352
Tradutor: Carolina Alfaro

proibido

Introdução

Quando eu soube do lançamento do livro, fiquei bastante curiosa com o que eu encontraria. Felizmente, o livro me surpreendeu de tal forma, que posso dizer, que o livro chega aos pés de grandes títulos do gênero e acabou entrando pelo no meu top 5 de leituras que me agradaram tanto ao longo dos anos de existência do blog.

Em Reconstruindo Amelia, temos uma trama bem atípica. Kate Baron é uma advogada dedicada, ela acaba ficando pouco tempo em casa e se dedicando a sua filha, Amelia. Em um dia atípico, Kate, recebe uma ligação do colégio de sua filha, dizendo que ela havia sido suspensa. O que não era algo comum, Kate vai o mais rápido que pode, mas quando está quase chegando ao colégio, vê uma movimentação estranha na frente do mesmo, Amelia pulou e não resistiu aos ferimentos. Porém, poucos dias depois, Kate recebe uma mensagem: Ela não pulou. Ou seja, será que Amelia foi empurrada ou jogada por alguém? Kate começa a investigar a fundo a vida que a filha levava, muito diferente do que ela imaginava. Ou seja, isso permeia a trama de Reconstruindo Amelia. Kate, como advogada e mãe da garota, irá atrás para descobrir quem está por trás disso e o que ocorreu para que acontecer essa tragédia na vida dela.

Sobre Kimberly McCreight

Ganhadora de vários prêmios importantes com esse livro (que é o seu primeiro romance). Kimberly, está com a corda toda no mundio editorial e no cinema. O livro terá uma adaptação com Nicole Kidman no elenco (e produção) e será produzido pela HBO em parceria com Blossom Films. Segundo romance dela “How I Lost Her“, será publicado pela Harper em abril de 2015. Sua trilogia adolescente “The Outliers“, a ser publicado pela Harper adolescente em 2016. Kimberly mora em Park Slope, Brooklyn com seu marido e duas filhas.

Narrativa

A narrativa é um diferencial muito interessante presente na trama. Temos capítulos intercalados entre Amelia (em primeira pessoa), Kate (antes do incidente/depois do incidente), mensagens de celular trocadas por Amelia e até mesmo publicações, um blog chamado Graciosamente, onde não se sabe ao certo quem o publica e comentários feitos no facebook em postagens de Amelia. Tudo isso gera uma sequência de perguntas durante a leitura, de certa forma, instigam de um modo muito positivo e tentador. Tudo faz parte na descoberta de Kate, tudo se encaixa perfeitamente. A construção dos personagens é muito detalhista e curiosa. A cada página o leitor fica mais entregue a narrativa e também busca uma ligação em tudo o que ocorre. Minhas partes favoritas estão quando Amelia ganha voz, ela é uma garota bem agradável na maioria do tempo. Kate é uma mãezona (mesmo não dedicando muito tempo, sempre quis estar presente), em alguns momentos, lembrei muito da minha mãe. Para quem não sabe, minha mãe também é advogada e na minha infância e adolescência, sentia que ela não tinha tempo para mim. Ou seja, minha proximidade com Amelia ganhou mais um elo durante a narrativa.

Diagramação

O livro me chamou bastante atenção pela capa, porém, é um tipo de livro que costumo ser bastante crítica. A diagramação do livro está excelente e promove ao leitor uma agradável leitura. Com a mescla de narrativas em mensagens de texto, postagens no facebook e as postagens no blog. Foi um livro onde eu não encontrei nenhum erro imperdoável por conta da diagramação.

Considerações Finais

Sabe aquele livro que te prende do melhor modo? Então, foi o que encontrei em Reconstruindo Amelia, mal posso esperar pelo seu segundo livro, bem como a adaptação cinematográfica desse livro encantador e assustadoramente, bom.