Vamos juntas?

ISBN-13: 9788501107510
ISBN-10: 8501107514
Ano: 2016 / Páginas: 144
Idioma: português
Editora: Galera Record

Introdução

Como cortesia da editora, recebi este livro. Confesso que foi uma experiência tão gostosa e inspiradora. O mais importante: conheci o projeto, pois não tinha total conhecimento do que se tratava. O que torna o livro mais interessante é que ajuda o projeto a ganhar mais força, pois os que não sabiam do que se tratava, passam a acompanhar.

Em Vamos Juntas?, não é um livro de ficção, pelo contrário, mais real impossível. Todos os dias, as mulheres enfrentam situações de riscos. Qualquer caminho que se toma, pode ser uma experiência ruim. Ir à faculdade, pegar transporte público… andar na rua, seja à noite ou de dia.

Sobre Babi Souza

Babi Souza vive em Porto Alegre e se formou em Jornalismo pela PUC-RS em 2013. Trabalhou em diversos veículos de comunicação passando também por agências digitais. Por acreditar que o colaborativismo e o amor ao próximo são “a saída” para o mundo, criou em junho de 2015 o movimento Vamos juntas? e, em outubro de 2015, a Bertha Comunicação, uma empresa focada em impulsionar negócios de mulheres através da comunicação digital.

Narrativa

A narrativa é bem organizada, cheia de depoimentos, o nascimento do projeto, diferenciação de termos comuns ao feminismo. A leitura foi em poucos minutos, mas que literalmente, foram necessários e no qual me indentifiquei bastante. Termos como femismo, misandria e sororidade, eu não tinha conhecimento. Em uma página, Babi consegue me apresentar um mundo completamente novo.

Projeto gráfico

Adorei a ideia do projeto gráfico, mas infelizmente, em algumas páginas ficaram mal diagramadas. Ao final do livro, tem algumas páginas em que você pode recortar e usar como plaquinhas com frases interessantes que evocam a sororidade.

Considerações finais

Vamos Juntas?, foi um aprendizado divertido. Pude entrar em contato com informações novas e passei a olhar os meus caminhos de outra forma. Juntas somos mais fortes. Não é um livro majoritariamente para mulheres, pode ser lido por homens que são engajados e que de alguma forma, querem entender o que é ser uma mulher num país onde infelizmente, as leis não funcionam.