Vertigo (Um Corpo que Cai)

ISBN-13: 9788582862896
ISBN-10: 858286289X
Ano: 2016 / Páginas: 192
Idioma: português
Editora: Vestígio

Introdução

Apaixonada pelos filmes de Hitchcock, quando soube do lançamento desse livro pela vestígio, não pensei duas vezes!

Em Vertigo: um corpo que cai, O ex-policial, Roger Flavière, deixa seu trabalho por ter uma vertigem. Porém, seu parceiro não teve a mesma sorte, continuou uma investigação que culminou na sua morte. O acidente sofrido pelo seu parceiro, o persegue em suas memórias e Roger se torna um advogado. Um dia como outro qualquer, Gèvigne, um amigo de infância de Roger, o procura para que ele persiga a sua mulher, Madeleine, pois ele acredita que ela estava escondendo algo dele. Mesmo Roger não sendo mais um policial, aceita e começa a seguir Madeleine, o que ele não sabia é que isso mudaria muito a rotina dele.

Essa edição é um relancamento de luxo da editora. E sem dúvidas, valeu toda a espera.

Sobre Boileau-Narcejac

Boileau-Narcejac: sob esse nome duplo ocultam-se dois escritores, Pierre Boileau (1906-1989) e Thomas Narcejac (1908-1998). Ambos aficionados por literatura policial e autores de romances de aventuras, eles se encontram e se associam em 1948. Inseparáveis desde então, seus papéis são, no entanto, claramente definidos: Boileau constrói a intriga; Narcejac redige, dá corpo e estabelece o texto definitivo. E, assim como a bomba de Hitchcock, que nunca deve explodir, para Boileau-Narcejac há uma regra de ouro: o protagonista nunca deve acordar de seu pesadelo. Sua primeira colaboração, Celle qui n’était plus, surgiu em 1952, e, reza a lenda, Alfred Hitchcock subiu pelas paredes para adquirir os direitos para filmá-la. Ele acabou superado pelo cineasta Henri-Georges Clouzot (As diabólicas), mas moveu mundos e fundos para obter os direitos de Vertigoquando o livro, D’entre les morts, foi publicado, em 1954. Mal sabia ele que a dupla Boileau-Narcejac havia escrito o livro tendo em mente o próprio Mestre do Suspense!

Edições estrangeiras

Narrativa

Um dos motivos pelo qual amei o filme é o terror psicológico por trás da trama e no livro, tive as mesmas vivências do passado. Um livro bastante ágil e ao mesmo tempo, muito bem escrito. A narrativa é de fácil entedimento e do meio para o fim, cresce bastante. Roger Flavière é um ótimo personagem, complexo e cheio de devaneios, de um jeito alucinante vamos nos entregando a narrativa e aos acontecimentos.
Diferente de muitos leitores, me empolgo ao ler um livro mesmo que já tenha visto o filme. Contanto que tenha gostado do mesmo, como foi o caso. Uma experiência estonteante.

Projeto gráfico

O trabalho gráfico está primoroso, sem dúvida capricharam muito na edição. A diagramação é bastante confortável e sem dúvida, todo fã de Hitchcock, vai querer ter um exemplar na estante.

Considerações finais

Vertigo: um corpo que cai, é um livro que me agradou muito em todos os quesitos. É um gênero que amo, uma trama bem construída e com personagens que provavelmente ficarão na memória por muito tempo.

O que me resta? Comprar meu exemplar de Dama Oculta.