172 Horas na Lua
ISBN-13: 9788581637099
ISBN-10: 8581637094
Ano: 2015 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Novo Conceito

Introdução

Em 172 horas na lua, no ano de 2018, a NASA anuncia que vará uma viagem à lua no ano seguinte e três adolescentes serão sorteados para passar 172 horas no espaço. Todos ficam eufóricos e torcem por terem a sorte de ter essa experiência. E os três sorteados, foram: Antoine Deveroux, um jovem francês que terminou o relacionamento de muito tempo e quer esquecer da namorada. Mia Nomeland, é da Noruega e ela sonha em ser reconhecida pela banda de rock que participa, ser escolhida pode ser um passo importante ao estrelato. E Midore Yoshida, uma estudante do Japão e que sonha em ir morar em NY, com isso poderia ter a vida que tanto sonha. O problema é que eles não tem ideia os perigos que os aguardam nessa viagem. Situações curiosas acontecem durante a viagem na base lunar. Sumiços de membros e quedas inexplicáveis de energia. Em pouco tempo, descobrirão que não estão nada seguros. Terão de encontrar meios de voltar para casa, antes que algo ruim aconteça com eles. O problema é que não tem contato algum com a Terra e terão de lidar com essa volta praticamente sozinhos.

Sobre Johan Harstad

Foto -Johan Harstad

Harstad nasceu em Stavanger. Ele fez sua estréia literária em 2001, com uma coleção de prosa curta intitulado Herfra blir du eldre nua (“De agora em diante você só ficar mais velho”). No ano seguinte, ele publicou uma coleção de histórias curtas chamadas AMBULANSE (“Ambulance”) e 2005 viu a publicação de seu primeiro romance, Buzz Aldrin, hvor det ble av deg i alt mylderet? (‘Buzz Aldrin, o que lhe aconteceu em All a confusão? “). Em 2008 ele publicou seu primeiro sci-fi / horror romance, 172 horas na Lua, um cruzamento entre ficção adulta jovem e adulto ficção.

Edição estrangeira

12810834 15790843 392644118467089 7951238 12399632

Narrativa

A trama é dividida em três partes, onde vários personagens tem sua voz na narrativa. A trama é envolvente e deixa o leitor bastante curioso sobre o destino dos “sortudos”. Em alguns momentos, senti que Mia tinha mais atenção durante a trama. É um livro bastante criativo e ao mesmo tempo trabalha questões bem curiosas na narrativa. O que mais gostei no livro foi justamente isso, não sabia muito pra onde tudo aquilo ia rumar. O livro pode não agradar a aqueles que são bem detalhistas, pois confesso, em alguns aspectos deixou a desejar, principalmente em algumas explicações. A narrativa tem várias imagens de mapas e dão informações de onde estão, deixando o leitor bem a par do ambiente onde a trama acontece.

Diagramação e capa

Confesso que a capa não me chamou muita atenção, mas a sinopse me fisgou bem mais. A diagramação do livro é simples, mas de fácil leitura. Não foram encontrados erros que comprometam a leitura como um todo. No geral, é uma boa edição.

Considerações finais

172 horas na lua, um livro diferente, ousado, divertido e com uma narrativa simples. Adorei os personagens por motivos diferentes e me conectei a cada um deles de um jeito único.