A Escolha

Edição: 1
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765374
Ano: 2014
Páginas: 352

A Seleção mudou a vida de trinta e cinco meninas para sempre. E agora, chegou a hora de uma ser escolhida. America nunca sonhou que iria encontrar-se em qualquer lugar perto da coroa ou do coração do Príncipe Maxon. Mas à medida que a competição se aproxima de seu final e as ameaças de fora das paredes do palácio se tornam mais perigosas, América percebe o quanto ela tem a perder e quanto ela terá que lutar para o futuro que ela quer. Desde a primeira página da seleção, este best-seller #1 do New York Times capturou os corações dos leitores e os levou em uma viagem cativante … Agora, em A Escolha, Kiera Cass oferece uma conclusão satisfatória e inesquecível, que vai manter os leitores suspirando sobre este eletrizante conto de fadas muito depois da última página é virada.

proibido

Introdução

O que posso dizer de A Escolha? Bom, o nervoso com America passa rapidamente, felizmente ela tem sido mais inteligente em suas escolhas e atitudes. Ou seja, chega de ficar nesse amor e ódio constante com a garota.

Alguns detalhes talvez possam escapar sem querer nesse último livro da trilogia de Kiera. Motivo? É impossível escrever sobre o último livro, sem citar passagens ao longos outros livros.

Em A Seleção, conhecemos America, seus desejos, dúvidas e conhecemos as outras 35 candidatas, a família de America,Aspen e Maxon.

Em A Elite, nos aprofundamos em 6 candidatas, a família de America, Aspen, Maxon e o Rei Clarkson e Rainha Amberly.

Em A Escolha, são quatro garotas dispustando (Kriss, Celeste, Elise e a America). Kriss começou a se tornar a canditada favorita em A Elite, em A Escolha ela ainda toma esse posto. Motivo? O Rei Clarkson anda pegando muito no pé de America e está disposto a qualquer custo em tirá-la da competição. Será que as chances de America continuam complicadas? Será que ela vai conseguir contornar tudo e não irritar os leitores com uma atitude errada?

Narrativa

A narrativa em A Escolha felizmente retoma de maneira ágil e avassaladora. Felizmente, nela há momentos bastante complicados e que deixam o leitor a ponto de ter um ataque cardíaco. America, muda bastante e vemos o quanto amadureceu com seus erros. Situações que pensei que não encontraria num livro do gênero ocorrem de maneira natural e bastante pautada originalidade com que autora trabalha ao longo da trilogia. Além do amadurecimento de America, vemos o quanto Maxon mudou ao longo da narrativa, o quanto quer participar de decisões e o quanto quer governar e ser alguém de expressão no reinado. Aspen novamente é apagado como um todo. O Rei Clarkson ganha um pouco de destaque inicialmente, porém, quem ganha total participação é a própria America.

Eu não imaginava o desfecho como um todo. Ainda não sei dizer se Kiera acertou em sua escolha. O que mais me incomodou foram as explicações da autora pelas atitudes de Celeste. Kriss me surpreendeu, o seu jeito sempre fofinha, compreensiva e tudo mais.

Diagramação

As duas capas anteriores felizmente combinam harmoniosamente com esse volume. A escolha do branco foi bem clara e é bem específica em fazê-lo dessa forma. America olha diretamente ao leitor e esse olhar é bem enfático, atiça a curiosidade. É algo do tipo: – Você não vai ler? Olha, acho que vai se surpreender com o que acontece comigo. Você já sabe?

 

Considerações Finais

O final de uma trilogia que deu certo e que aqueceu o coração de muitas leitoras e leitores (existe um vasto público masculino da série, o que me surpreendeu bastante ao conversar com alguns amigos que leram e adoraram a série). Kiera continua escrevendo livros que se passam no imaginário desse universo criado por ela. O que deixa os leitores bastante próximos desse universo por um tempo. Com certeza é uma trilogia que irei reler por várias vezes. O que talvez tenha funcionado para mim, foi porque minhas expectativas quanto a ela não eram tão grandes, ou seja, supriram e foi lida numa época com o qual eu estava disposta a ler.