A Garota Que Eu Quero

Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580573732
Ano: 2013
Páginas: 176
Tradutor: Vera Ribeiro

O Rube nunca amou nenhuma delas. Nunca se importou com elas. Nem é preciso dizer que Rube e eu não somos muito parecidos em matéria de mulher. Cameron Wolfe é o caçula de três irmãos, e o mais quieto da família. Não é nada parecido com Steve, o irmão mais velho e astro do futebol, nem com Rube, o do meio, cheio de charme e coragem e que a cada semana está com uma garota nova. Cameron daria tudo para se aproximar de uma garota daquelas, para amá-la e tratá-la bem, e gosta especialmente da mais recente namorada de Rube, Octavia, com suas ideias brilhantes e olhos verde-mar. Cameron e Rube sempre foram leais um com o outro, mas isso é colocado à prova quando Cam se apaixona por Octavia. Mas por que alguém como ela se interessaria por um perdedor como ele? Octavia, porém, sabe que Cameron é mais interessante do que pensa. Talvez ele tenha algo a dizer, e talvez suas palavras mudem tudo: as vitórias, os amores, as derrotas, a família Wolfe e até ele mesmo.

proibido

Introdução

Muitos leitores ficaram sem entender porque a Intrínseca lançou o terceiro livro de uma série. Gente, como anunciado pela propria editora, o livro tem os mesmos personagens, porém não faz parte da série iniciada pela Bertrand. Ou seja, ele não necessita da leitura dos outros dois livros. É um livro com uma história independente das anteriores e pode ser lido tranquilamente.

Narrativa

A narrativa de Zusak sempre me agradou. O jeito único de criar personagens bem diferentes. O livro pode causar um pouco de pudor por parte do leitor. Afinal já na primeira página ele fala sobre masturbação de um modo bem descontraído. O livro conta a história de Cameron Wolfe. Cameron é o filho mais novo de uma família e diferente do que todo mundo acha, ele é o filho mais solitário e se considera um perdedor. O irmão do meio, Rube, tem do dom no ato de conquistar, ganha uma garota com um sorriso e muda de namorada como bebe água, ou seja, o oposto de Cameron. A nova conquista de Rube, se chama Octavia (oh, nome!). Porém, Cameron fica fascinado pela inteligência da moça, inclusive seu senso de humor. Quando Rube está próximo de dispensar Octavia, Cameron percebe e fica preocupado pois ela consegue ver o que nenhuma garota havia notado nele.  Cameron fica sem reação quando Octavia se demonstra a fim de ficar com ele. E de uma hora pra outra se joga de cabeça e ata um relacionamento com a garota. Quando Rube descobre há várias mudanças que vão ocorrendo ao longo da história. É um livro sobre o auto conhecimento do personagem e as consequências que o amor pode trazer na sua vida.

Durante a trama alguns poemas de Cameron intercalam a narrativa, achei genial da parte de Zusak usar a poesia para expressar o sentimento do personagem. Isso fez com que a trama enriquecece mais ainda pro leitor.

Zusak consegue usar palavras de uma forma bastante incomum. Quando se lê a maioria das frases vê a inteligência e o cuidado que ele tem com a construção da história. Ele faz com que homem mais mal quisto da sociedade se torne um principe.

Considerações Finais

Repetindo, o livro não faz parte de uma série iniciada pela Bertrand. O livro possuí personagens dos outros livros, mas não significa que ele só possa ler se tiver lido os outros dois. Eu mesma não li. Vou ler O Azarão em agosto.

A diagramação do livro é um capricho a parte. Adoro livros que capricham mesmo na simplicidade das coisas. A capa com a foto dos pés de Cameron e de Octavia (supostamente) é bem bonita.

O livro é bem curto e com uma narrativa que não cansa um segundo. Bons diálogos, bons personagens e feitos por um ótimo escritor (um dos melhores da atualidade).