Charlotte Street

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581630038
Ano: 2012
Páginas: 400

Tudo começa com uma garota… (porque sim, sempre há uma garota…) Jason Priestley acabou de vê-la. Eles partilharam de um momento incrível e rápido de profunda possibilidade, em algum lugar da Charlotte Street. E então, em um piscar de olhos, ela partiu deixando-o, acidentalmente, segurando sua câmera descartável, com o filme de fotos completo… E agora Jason — ex-professor, ex-namorado, escritor e herói relutante — se depara com um dilema. Deveria tentar seguir A Garota? E se ela for A garota? Mas aquilo significaria utilizar suas únicas pistas, que estão ainda intocáveis em seu poder… É engraçado como as coisas algumas situações se desenrolam…

proibido

Introdução

É o um dos lançamentos desse mês da Novo Conceito que mais me chamaram a atenção.

  • pelo fato da história ser narrada em Londres (lugar que ainda não tive a oportunidade de conhecer, mas que pretendo muito em breve;
  • grande parte do livro é em primeira pessoa (adoro);
  • é um livro que facilmente seria narrado por uma mulher, o que o torna incomum diante dos outros livros do gênero.

Narrativa

As 400 páginas vão literalmente voando nas mãos. A narrativa é leve, gostosa e mal se nota a quantidade de páginas que apresenta. Jason é um personagem muito agradável, cômico e culto. A sua busca atrás da garota se torna um atrativo muito maior. Ele realmente se joga na busca e vai até o fim para que isso se concretize. Seria chato esboçar a vocês o que acontece… mas uma coisa eu já adianto… TOTALMENTE criativo na construção do desenvolvimento da trama. As doses de humor ácido irão encantar muitos dos leitores, pois ele o deixam mais animados a continuar. É um livro sobre um assunto que pode estar próximo e universal. Não somente em Londres que é uma cidade bastante movimentada, São Paulo se adapta bem a rapidez com que as coisas acontecem em gênero, número e grau. Um livro com descrições e observações bem interessantes. Temos conhecimento do que acontece tanto com a garota, quanto com Jason. Ela escreve num blog e aos poucos o leitor vai adquirindo um carinho com a mesma. Torce pra que se encontrem logo. É o tipo de livro que não se para enquanto não se tem a resolução dos fatos. A narrativa me fez rir, ficar ansiosa e apreensiva com tudo que ia acontecendo na vida desse protagonista.

Momento Macchiato

Há sete milhões de estranhos nessa cidade e sorrirei para alguns deles hoje, só no caso de alguém estar me procurando.
Seria embaraçoso se ninguém tivesse. – pág 175

Considerações Finais

Um livro pra se encantar, apaixonar e vivenciar momentos gostosos. Estou indo comprar minha câmera descartável, quem sabe não encontro meu grande amor por aí… perdido [:P]. A capinha de câmera fotográfica que a Novo Conceito presenteou os blogueiros e o sortudo que ganhar a promoção tem realmente tudo a ver com a trama. Acertaram em cheio no mimo.

O livro te leva a reflexão clássica de que pode se conhecer pessoas nos momentos mais simples da vida. É engraçado como alguém entra ou sai da sua vida sem explicações ou complexidades maiores. Em suma, é um livro rico assim como Charlotte Street.

Assumo que enquanto lia, vivia olhando as imagens e tentando incorporá-las dentro da trama… funcionou muito! Mal vejo a hora da adaptação cinematográfica estrear. Tem tudo pra ser um grande filme.