O Encontro – Richard Paul Evans 

O Encontro

Edição: 1
Editora: Lua de Papel
ISBN: 9788581630038
Ano: 2012
Páginas: 231

Alan Christoffersen é um jovem publicitário bem-sucedido, comanda sua própria empresa, ao lado do sócio, e é loucamente apaixonado por sua esposa, McKale. Sua vida parece perfeita até que ocorre um terrível acidente enquanto ela montava à cavalo. Alan larga tudo para acompanhar o tratamento da esposa, momento em que Kyle, seu sócio, aproveita para roubar todo o dinheiro da empresa. Então McKale morre. Arrasado, sem a mulher que amava e traído pelo sócio ele se vê sufocado naquele lugar. Então sai de casa sem rumo, com uma mochila nas costas, e inicia uma longa caminhada em direção ao sul. Era uma busca por respostas e um tempo para tentar pensar o que fazer. Durante o caminho ele faz descobertas impressionantes sobre seus sentimentos, conhece pessoas incríveis e vislumbra novamente um sentido para a sua vida. Ele encontra dentro dele algo que jamais lhe poderia ser tirado novamente. Escrita por Richard Paul Evans, autor Best-seller do The New York Times, O Encontro é a primeira história série The Walk, que traz neste primeiro livro uma história emocionante sobre o que fazer quando surgem grandes adversidades na vida e o que podemos aprender com esses momentos

proibido

Introdução

Eu ainda não tinha lido nada do autor, mas já tinha visto muitos leitores falando sobre a escrita do autor e como as histórias chamam atenção e são de certa forma uma boa reflexão após uma grande perda.

Narrativa

A narrativa do autor é agradável, cheia de citações. A maioria do tempo a história é narrada em primeira pessoa, principalmente no início e no fim da trama. Alan teve que lidar com a morte de sua esposa McKale que teve uma morte trágica e repentina. Pós-morte decide rumar a uma nova vida. E ao buscar a sua resposta vai peregrinando de cidade em cidade, conhecendo pessoas e no objetivo de cruzar o país. Ainda não tem um objetivo ao certo, porém está na procura do mesmo. Com um misto de saudade e bons tratamentos por grande parte dos personagens com o qual o protagonista se relaciona ele caminha e conhece histórias diferentes das dele.  Embora não fale muito sobre o acontecido com ele, tem a curiosidade de ouvir os outros, conhecê-los mesmo que em pouco tempo. Assim coleciona acontecimentos para um diário. O que mais me agradou, foi o fato do autor não tender ao clichê. Não senti em nenhum momento o livro parecido com o de algum outro autor. Ele tem uma marca, mesmo que eu não tenha lido outro livro do mesmo e o que obviamente vou. Ele me pereceu bem interessante.

Momento Macchiato

“-Você gosta de livros?

– É. Mas não gosto mais das livrarias. Elas também não gostam de mim. Nunca me bateram, mas eles têm comida e café nas livrarias, exceto nas livrarias Crown, mas já não há tantas delas. Não deveria ter comida e café ao redor de livros. Não está certo. Eu gosto do King.

– Stephen King?

Ele se inclinou à frente. – Você conhece o senhor King?

– Conheço os livros dele.

– Gosto de Dumas e Mitchum[…]” – pág

Todo autor que cita o mestre King, merece o meu respeito.

Considerações Finais

Ando numa fase muito frágil, o livro me emocionou em grande parte. Pois mexeu com os meus maiores medos. Alguns com o qual ainda não sei lidar. Por isso não o julgo ou culpo. Pois sei como é doloroso perder alguém que se ama. Ninguém fica preparado pra tragédia. Ela simplesmente acontece. E existem vários tipos de reações. A história me provocou reflexões além da própria história. Mas Richard Paul Evans, deixou uma boa impressão, gostei do modo pelo qual ele elabora a trama e seu desfecho, embora não seja conclusivo. Ele deixa lacunas para o próximo livro da série. Portanto, esse é o livro um de muitos chororôs. Aguardo ansiosamente.